DestaquesGeralTodas as Notícias

Farol apagado em rodovias do Piauí gera mais de mil multas em um mês

Um levantamento feito pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) apontou que depois de passado um mês da obrigatoriedade do farol durante o dia nas rodovias federais, no Piauí 1.322 condutores foram autuados por desrespeitar a nova norma. Ao todo, o número de autuações no país passa dos 120 mil. O dado foi divulgado pela polícia nesta segunda-feira (15).

b9ec6e4ad6bf67b7d4cd2544d67d
Com a nova lei passou a vigorar, o número de acidentes caiu nas rodovias. (Foto: GcomMT)

A lei do farol entrou em vigor no dia 8 de julho e vale também para áreas urbanas. Em Teresina, por exemplo, três avenidas merecem atenção especial dos condutores. São elas as avenidas João XXIII, Henry Wall de Carvalho e Presidente Kennedy, já que todas elas são prolongamento de rodovias.

Conforme a PRF, depois que a nova lei passou a vigorar, o número de acidentes caiu nas rodovias. O levantamento mostra que entre os dias 8 de julho e 8 de agosto deste ano não foi registrado nenhum atropelamento no Piauí. Já em comparação com o mesmo período do ano passado três pessoas foram atropeladas sendo que dois dos casos foram considerados graves.

Além disso, o dado revela ainda que em relação aos casos de acidentes com colisão frontal, seis pessoas morreram nos dois acidentes registrados em 2015. Já este ano, foram duas colisões frontais, duas pessoas ficaram gravemente feridas e não houve mortes. Conforme a PRF, a redução do número de mortes nas BRs se dá também devido à nova legislação.

Depois de um mês da obrigatoriedade, os cinco estados que mais registraram motoristas conduzindo durante o dia com os faróis apagado estão Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

De acordo com a PRF, o descumprimento da lei federal é considerado infração média, com 4 pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85,13, que passará para R$ 130,16 em novembro próximo.

Fonte: G1

LER MATÉRIA COMPLETA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também