ad16
DestaquesPolítica

Advogado Cândido Alexandrino pode sair candidato em Picos

Cândido Alexandrino
Cândido Alexandrino

O professor universitário, advogado e evangélico em Picos, Cândido Alexandrino Barreto Neto, 32 anos, suscita esta semana uma grande polêmica sobre o papel dos políticos da cidade. Anunciando que pode entrar na política partidária faz uma retrospectiva de que o município precisa urgentemente de novos, diferentes e ativos políticos, principalmente para o trabalho dos valores educacionais e da família.

Confira entrevista:

RIACHÃONET: É verdade que o senhor está pensando em entrar para a política?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: Sempre fui cidadão participativo, votei em candidatos que considerei aptos a um bom desempenho, acompanho a atuação dos poderes Executivos e Legislativos e exorto as pessoas próximas a mim a fazerem o mesmo. Não devo favor a político algum, só devo favor e honra à Deus e O reconheço e enalteço diariamente em minha vida!

Só que esta onda interminável e incansável de repetitismo político que não resolve a falta de emprego para nossos jovens e de uma saúde e educação eficaz para o povo me deixam indignado e cansei, quero fazer algo!

RIACHÃONET: O senhor é filiado a algum partido político?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: Ainda não. É público e não escondo de ninguém que tenho simpatia pelo PSDB pois cresci observando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso colocando o Brasil nos eixos, plantando as sementes que o PT colheu. Há também o PSC (Partido Social Cristão) que tem como bandeira principal a família, algo que prezo muito! Para mim é DEUS em 1º lugar, depois família, trabalho e etc!

RIACHÃONET: E alguém já o procurou, convidou?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: De maneira rápida e superficial troquei ideias com um Deputado Federal e um amigo em comum me disse que determinado Deputado Estadual queria me conhecer, queria conversar comigo.

RIACHÃONET: Como encara hoje a cidade de Picos?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: Uma cidade bonita, arrumada mas com poucas perspectivas reais. Nossos jovens morrendo em acidentes, adolescentes vitimadas pelo álcool e pelas drogas que tomam de assalto nossa Sociedade. Não observamos uma mudança substancial que possa garantir um futuro melhor para os picoenses que desejam trabalhar.

RIACHÃONET: Então, na sua opinião, quais as necessidades de Picos?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: Costumo dizer que observamos Picos passar por um “banho de loja”: a Cidade está mais bela e a administração parece mais organizada, mas precisa gerar empregos. Nossa amada Picos está mais arrumada mas não se desenvolveu tanto quanto deveria! Temos capacidade, vocação comercial e pessoas dispostas, basta acreditar e encarar os desafios.

RIACHÃONET: Em quais áreas seriam seus projetos?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: Leio diariamente notícias jurídicas, políticas e sociais acompanhando a evolução e as novidades. Minhas ações seriam em prol da Família, Educação e Saúde. Família porque é o núcleo primeiro e básico da sociedade e em tempos difíceis como esses precisamos mais do que nunca de revitalização e fortalecimento da família! Educação pois sem educação não temos cidadãos de bem, bons filhos, jovens com perspectiva de um bom futuro profissional. Sem ensino não se vai longe! E a saúde, pois com saúde podemos correr atrás de nossos sonhos, de nosso futuro, nossas metas!

RIACHÃONET: Mas e outras áreas?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: Acredito que todas as outras áreas são derivadas ou vão ao encontro da Família, Educação e Saúde. Precisa-se criar  escolinhas de futebol, basquete, judô, dar ajuda de custo, material esportivo, promover torneios entre os Bairros, pois desta forma estaríamos cuidando da saúde das crianças pois praticariam esporte três, quatro dias por semana e praticando esporte certamente nossos jovens não estariam nas ruas o que tranquilizaria os pais e a molecada aprenderia a ter disciplina, respeitar hierarquia pois a vida de atleta exige isso! Tudo é interligado.

RIACHÃONET: Hoje, Picos precisa mais urgentemente de quê?

CÂNDIDO ALEXANDRINO: A criação do Conselho da Família, nos moldes do conselho tutelar composto por membros da sociedade civil como por exemplo, um representante da OAB, um representante das Igrejas evangélicas e um da católica, CDL e outros, com o intuito de acompanhar, fiscalizar, sugerir, defender políticas e atos públicos para a revitalização e o fortalecimento da Família!

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade