ad16
AutoPECASonline24.pt
Geral

Caatinga na Rio +20 reúne entidades em Picos

Caatiga
Caatinga na Rio +20 reúne entidades em Picos.

Entidades representativas da sociedade civil organizada, autoridades e políticos estiveram presentes na segunda consulta pública realizada no Piauí para discutir a participação do Estado na I Conferência Regional de Desenvolvimento Sustentável do Bioma Caatinga na Rio + 20, a ser realizada em Fortaleza.

As consultas públicas estão sendo realizadas em Teresina, Picos e São Raimundo Nonato, com a coordenação da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), através do Comitê Estadual Caatinga na Rio + 20/Piauí, em parceria com o Banco do Nordeste (BNB), ASA/Brasil, Secretaria da Educação (Seduc), Associação Piauiense de Municípios (APPM) e Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi).

Em Picos, a deputada estadual Lisiê Coelho, que faz parte do comitê, ressaltou a importância das consultas que estão obtendo informações necessárias, através da sociedade civil das regiões, que deverão fazer parte da DECLARAÇÃO DA CAATINGA. “O documento está sendo construído e iremos apresentar durante a conferência regional. Logo em seguida, teremos como concluir um documento final que será apresentado na conferência da ONU”, na Rio +20 que acontecerá no Rio de Janeiro”, ressalta Liziê Coelho.

As consultas públicas têm como objetivo mobilizar os municípios piauienses que formam o Bioma Caatinga para defender propostas de atuação para o desenvolvimento sustentável da Caatinga junto à Conferência Internacional RIO +20 – Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável. A conferência acontecerá entre os dias 4 e 6 de junho de 2012, no Rio de Janeiro.

Os representantes da sociedade civil, durante o evento contribuíram muito com suas falas, referindo-se aos problemas concentrados na região da Caatinga dentre eles: a divisão de água, questões da conservação do solo, problemas com a mineração, ampliação da reserva legal da Caatinga, produção de conhecimento do Bioma Caatinga, impacto cultural nas comunidades quilombolas e implantações de mudas nativas.

De acordo com o presidente da APPM Francisco Macêdo, o evento é de grande importância para o Piauí, principalmente por se tratar de um bioma como a “Caatinga” existente em grande parte do Nordeste, especificamente, no Piauí.

Governo do Estado

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade