ad16
CidadeDestaquesGeral

“Caminhoneiros estão há 20 dias parados sem poder descarregar na Conab em Picos”, denuncia Belê

[ad#336×280]A deputada estadual Belê Medeiros subiu à tribuna da Assembleia Legislativa do Piauí na tarde desta quarta, dia 19, para protestar diante do descaso da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) com os caminhoneiros que estão há mais de 20 dias em frente à sede do órgão em Picos sem poder descarregar o milho que seria vendido para amenizar o problema da seca que atinge produtores e criadores de gado em vários municípios da região sul do Piauí. Belê relatou que o impasse teve início com uma paralisação dos estivadores que cobravam uma dívida de R$ 35 mil da Conab por conta de serviços prestados, e não pagos, em Picos. O montante foi pago após a Justiça ter sido acionada, mas agora quem protesta são os caminhoneiros por conta dos prejuízos causados pela duradoura paralisação nos serviços do órgão em Picos.

“Os estivadores que trabalham na Conab tinham R$ 35 mil para receber e não recebiam. Imaginem estivadores que passam o dia carregando sacos de 60 quilos nas costas e ao término do mês não recebem seus salários? Essa é uma atitude criminosa contra pais de família que já vivem no sofrimento. Pessoas humildes que dependem daquele sacrifício. Foi preciso acionar a Justiça para que recebessem o dinheiro. Receberam, mas os caminhoneiros estão com seus carros parados e querem agora ser ressarcidos do prejuízo que tiveram, com toda razão”, afirmou Belê completando que o proprietário do caminhão – geralmente adquirido através de empréstimo bancário – tem 30 dias para trabalhar e garantir o pagamento do veículo e o sustento da sua família e não pode ficar no prejuízo por conta de uma divergência entre estivadores e a Conab.

Deputada Belê Medeiros
Deputada Belê Medeiros

“O único patrimônio que esses caminhoneiros têm está dando prejuízo. O seu meio de lhe dar dinheiro, está gerando despesas porque está parado. Os caminhoneiros estão lá reivindicando seus direitos. O certo é que o problema é angustiante e quero demonstrar minha indignação, não consigo entender como uma instituição como a Conab permite uma situação tão deselegante e desagradável como essa em Picos”, questionou Belê.

A parlamentar acredita que esse tipo de situação mostra porque as pessoas estão angustiadas, insatisfeitas com uma estrutura equivocadamente instalada hoje em todo País. “São vários problemas acumulados que tem gerado manifestações populares em todo Brasil. É angustiante você ter uma carreta, levar para a porta de uma instituição para descarregar e ficar quase um mês parado enquanto do outro lado uma população está sofrendo, porque não consegue comprar o milho para dar para o seu gado. Eu não consigo entender que sistema é esse”, desabafou Belê.

A deputada lembrou ainda que a venda de milho com subsídios para produtores e criadores de gado atingidos pela seca é uma das medidas adotadas para amenizar os efeitos da estiagem no Piauí, uma das maiores das últimas décadas que segue castigando o Estado. No entanto, apesar de esforços de várias instituições – inclusive da Assembleia Legislativa – para a concessão desse benefício, a proposta termina se tornando inviável diante de um impasse que tem como órgão central a Conab. “Os produtores vão até a Conab, mas não conseguem comprar o milho porque eles não têm acesso ao produto. Isso é muito constrangedor”, finalizou Belê.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade