ad16
Polícia

Comandante defende ação da PM no caso dos irmãos baleados em Paquetá

[ad#336×280]Internados desde a madrugada de domingo no Hospital Regional Justino Luz os irmãos Manoel Jenaílson Bezerra e Francisco Jaílton Bezerra já passaram por um procedimento cirúrgico para retirada de projeteis. As cirurgias aconteceram nesta última segunda-feira (23). Os dois foram baleados por policiais militares depois de uma confusão em uma festa. Esse caso aconteceu no município de Paquetá do Piauí.

Segundo a mãe das vítimas, Josefa de Sousa, os seus filhos foram baleados cada uma em uma das coxas. No entanto, ela não especificou se na direita ou na esquerda. A mesma acrescentou que o caso de Jenaílson expirou mais cuidados por parte dos médicos que realizaram a cirurgia. “Ele perdeu muito sangue”, frisou Josefa Sousa, em entrevista a rádio Cidade Modelo FM.

Templo religioso em Paquetá do Piauí
Templo religioso em Paquetá do Piauí

Além do ferimento à bala, Josefa disse que Jaílson apresentava um hematoma no tórax e outro na cabeça. De acordo com a mesma, o filho relatou que o machucado havia sido feito com um cassetete. “Eles receberam a voz de prisão e foram para o hospital no camburão da polícia. Mas não estão mais presos não a gente já pagou a fiança”, completou.

Presente no estúdio da emissora de rádio o Comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, Tenente-Coronel, Wagner Calixto Torres, contou a versão apresentada pelos policiais e afirmou que militar que atirou agiu em legítima defesa, haja vista que foi atacado por um dos irmãos.

“Um dos rapazes que estava brigando se armou com uma chave de fenda e partiu para cima do policial e Deus não permitiu que ele furasse o olho do policial. Ele pegou muitos pontos na área bem cima do nariz, com o corte dessa chave de fenda. O policial cambaleou, caiu e para se defender fez os disparos de arma de fogo. Atingiu os dois nas pernas. Se ele tivesse a intenção de matar era mais fácil atirar no tórax ou no peito”, argumentou o Comandante.

Wagner Torres falou ainda que os dois irmãos responderão pelo crime de desacato, resistência e lesão corporal. “Quando a polícia ela é acionada para ir a um local a intenção dos policiais e a orientação que a gente dá é para eles resolverem da melhor maneira possível. O policial não vai com a intenção de matar ninguém. Eu quero deixar bem claro isso. Agora quando eles são recebidos da forma que foram. O que é que o policial vai fazer? Vai morrer? Esperar o cara matar ele? Furar os olhos dele? Ou ele vai se defender? Ele vai ter que se defender. E foi isso que os policiais fizeram”, pontuou.

Apesar de concordar com o modus operandi dos policiais, o Comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar salientou que já determinou a abertura de uma sindicância. “Vai ser apurado e no final da sindicância vamos saber se os policiais agiram corretamente ou houve algum abuso”, finalizou Torres.

Com informações do Rodeador News

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade