DestaquesPolícia

Comandante Wagner Torres acredita que impunidade motivou chacina em Alegrete

O comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, tenente coronel Wagner Torres, em entrevista ao Jornal do Piauí, informou que a chacina em Alegrete do Piauí (a 379 quilômetros de Teresina) teria ocorrido por conta da “sensação de impunidade” pelos assassinatos de Ciamara Ramos e do professor George Francisco de Carvalho.

Tenente-coronel Wagner Tôrres, comandante do 4ª BPM de Picos-Foto: Romário Mendes
Tenente-coronel Wagner Tôrres, comandante do 4ª BPM de Picos-Foto: Romário Mendes

“Tudo começou em 2012 quando a Maria do Socorro juntamente com a Ciamara voltavam de Padre Marcos para Alegrete e foram abordadas por dois elementos que atiraram contra elas e mataram Ciamara, a Socorro disse que conseguiu se desvencilhar e fugir. O George primo da Ciamara começou a dizer na cidade que iria testemunhar contra Socorro e em junho foi morto. O tenente Gilson, de Fronteiras, cumpriu mandado de busca e apreensão na casa da Socorro e apreenderam cinco armas, que o Sildo, irmão dela assumiu a responsabilidade, pagou a fiança e foi solto. Então na cidade ficou com essa sensação de impunidade que resultou nessas mortes”, analisou coronel Wagner Torres.

Para o comandante da região de Picos, as mortes ocorreram pela falta de elucidação do assassinato da Ciamara ainda em outubro de 2012. “Se tivesse sido esclarecido o primeiro homicídio, entendo que não teria acontecido nem o segundo e muito menos esses”, declarou.

FONTE: Cidade Verde

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também