ad16
PolíciaTodas as Notícias

Criança morre e pais ficam feridos em abordagem da Polícia Militar em Teresina

Uma abordagem mal-sucedida terminou com uma garota de nove anos morta e os pais feridos em Teresina. O caso ocorreu no fim da noite desta segunda-feira (25), na avenida João XXIII, zona Leste da Capital. 

Os tiros teriam sido disparados por policiais militares do 5º Batalhão da Polícia Militar. A guarnição teria dado ordem de parada ao condutor que estava em um veículo Renault Clio. Ele não obedeceu e seguiu em frente, quando foram efetuados os cinco tiros, sendo que três atingiram a família. 

Mãe da criança foi atingida com um tiro no braço (Foto: Izabela Pimentel)
Mãe da criança foi atingida com um tiro no braço (Foto: Izabela Pimentel)

No veículo estavam um casal e seus três filhos, incluindo um bebê de oito meses de idade. O Cidadeverde.com apurou que o condutor não teria parado porque estava sem a cadeirinha infantil no carro que uso é de uso obrigatório.

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) informou que a vítima, uma criança de nove anos,  deu entrada à meia noite de ontem (25). A criança não resistiu aos ferimentos e morreu às 5h30 desta terça-feira (26). A menina teve o tórax e costela perfurados de bala. 

Os pais da garotinha foram identificados como Evandro da Silva Costa, 31 anos, atingido na região do pescoço, e Daiane Félixo Caetano, 26 anos, atingida no braço. 

Em novembro deste ano foi registrada ocorrência semelhante na Vila Irmã Dulce, zona Sul de Teresina. Seis pessoas e um bebê de 8 meses estavam em uma caminhonete quando se assustaram com os tiros. Três pessoas ficaram feridas, entre elas, a mãe da criança.

Os familiares da menina Emile Caetano Costa, 9 anos, prestam depoimento na Delegacia de Homicídios. A mãe da criança, Daiane Caetano, disse ao Cidadeverde.com que estava indo levar a filha para uma franquia de açaí quando ocorreu a abordagem policial. 

“Minha filha estava com fome e pediu para comer um açaí. Estávamos no carro e na hora de fazer uma rotatória na avenida João XXIII, meu marido triscou o carro no meio fio. A partir daí, uma viatura da PM começou uma perseguição. Eu estava com medo porque minha outra filha de oito meses também estava no veículo sem o bebê conforto. Mesmo assim, decidimos parar…. quando paramos a polícia efetuou os tiros contra o nosso carro. Foram pelo menos dez disparos”, relata Daiane que acredita que a intenção dos policiais militares era de matar. 

Além de Daiane,  do bebê de colo e sua filha Emile, também estavam no veículo, o cantor sertanejo Evandro Costa (marido de Daiane e pai das crianças) e Manoeli, filha do casal de oito anos de idade.

Daiane conta que antes dos policiais efetuarem os disparos, populares avisaram que o carro estava ocupado por uma família.

“Quando desci do carro, gritando desesperada, o policial aí me chamou de vagabunda, perguntando por que  eu não parei o carro. Uma pessoa disse que não precisava atirar porque era uma família e o policial disse para ele calar a boca senão ia sobrar tiro até pra ele”, relatou a mulher. 

Daiane teve alta do hospital. Já o cantor sertanejo permanece em observação. Ele foi atingido com um tiro de raspão do lado esquerdo da cabeça. 

Versão da PM

A coronel Elza Rodrigues, relações pública da Polícia Militar informou que dois policiais do 5º Batalhão foram autuados na manhã de hoje e levados para o presídio militar.  

Segundo a coronel, o condutor do veículo não parou durante a abordagem e houve uma perseguição ao veículo. 

“Segundo a ocorrência, na avenida João XXIII o veículo parou, uma senhora desceu do veículo com o bebê nos braços, houve verbalização e disparos.  A senhora foi atingida no braço, o condutor foi ferido na altura da orelha e a criança de 9 anos veio a óbito”, contou a coronel Elza Rodrigues. 

LER MATÉRIA COMPLETA

Leia Também