ad16
PolíciaTodas as Notícias
Últimas

Dentista acusada de racismo nas redes sociais é presa em Teresina

Mulher que publicou texto com ofensas racistas contra um bebê e uma mulher da cidade de São Raimundo Nonato foi presa em um hotel na capital e se preparava para viajar para São Paulo.

Polícia Civil conseguiu localizar e prender na noite de segunda-feira (16) a dentista da cidade de São Raimundo Nonato que fez publicações com insultos racistas em seu perfil no Facebook. De acordo com o delegado Emir Maia, gerente do policiamento do interior, a mulher estava escondida em um hotel em Teresina e se preparava para ir para São Paulo.

O delegado Emir Maia explicou que a prisão da dentista foi expedida por que ela não se apresentou à Polícia Civil para prestar depoimento sobre as acusações na delegacia da cidade. A Delegada Cíntia Verena, de São Raimundo Nonato, representou pela prisão provisória e as buscas pela dentista começaram na capital.

“A gente tinha a informação de que ela estava escondida em Teresina, logramos êxito ontem [segunda-feira] em descobrir que ela estava hospedada no hotel do Sinte, já com destino a São Paulo”, disse o delegado Emir Maia. A dentista passou por exame de corpo de delito na manhã desta terça-feira (17) e foi encaminhada para o sistema prisional.

A dentista foi denunciada no início do mês de abril quando publicou em sua página no facebook um texto onde direcionava ofensas racistas a um bebê e sua mãe que moram em São Raimundo Nonato. A Polícia Civil considerou que as ofensas atingiam não apenas a mãe e o bebê, mas toda a comunidade negra, configurando o crime de racismo.

Texto com ofensas racistas foram publicadas em rede social de suspeita (Foto: Reprodução / Facebook)
Texto com ofensas racistas foram publicadas em rede social de suspeita (Foto: Reprodução / Facebook)

“Ela atinge a honra de várias pessoas na cidade de São Raimundo, inclusive uma advogada. Ela ofende muita gente e por último ofendeu uma moça que teve bebê recentemente”, disse a delegada Cynthia Verena. Segundo o delegado Emir Maia, o crime de racismo, que define condutas discriminatórias e de ódio, é imprescritível e inafiançável, e a pena pode chegar a 5 anos de prisão.

FOnte: G1 Piauí

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Leia Também