ad16
GeralPolítica

Deputados receberam diária até no recesso, diz relatório do MP

Flávio Teixeira
Promotor fala sobre as contas da Assembléia Legislativa.

O promotor Flávio Teixeira, presidente da Associação Piauiense do Ministério Público – APMP -, voltou a cobrar que a Procuradora Geral de Justiça, Zélia Saraiva, tome providências a respeito das denúncias de irregularidades nas contas da Assembleia Legislativa do Piauí. Em entrevista no Jornal Cidade Verde desta quarta-feira (1), ele citou que entre as suspeitas existiriam diárias pagas a deputados mesmo em período de receso parlamentar. O promotor afirmou ainda que o orçamento da Casa é um “absurdo” e precisa ser revisto.

Segundo a investigação do Ministério Público de Contas, as prestações de 2008 e 2009 apresentariam várias irregularidades, o que fez os auditores recomendarem a devolução de R$ 50 milhões. Entre os problemas estaria a falta de comprovação de despesas. “Basta ver que cada deputado em 2008 e 2009 recebeu R$ 5.960 mensalmente em diárias. (…) Pelo relatório, todos os deputados do Piauí gastaram a mesma coisa, viajaram ao mesmo tempo, até no recesso parlamentar. É uma das falhas gritantes na prestação de contas da assembleia, é a falta de comprovaçao de despesas.”, aponta o promotor;

A associação defende a devolução do dinheiro aos cofres públicos e a revisão do orçamento. Para isso, pede que a procuradora geral de Justiça se manifeste sem esperar pelo julgamento da ação no Tribunal de Contas do Estado – TCE-PI.

“Sabemos que o orçamento da Assembleia hoje é destoante da realidade do Piauí, da realidade da Assembleia e da realidade dos três poderes. É um absurdo a Assembleia ter um orçamento duas vezes maior que o do Ministério Público”, acrescentou Flávio Teixeira.

O promotor nega que a cobrança seja uma retaliação aos deputados pela não aprovação de um orçamento maior ao Ministério Público. “Antes mesmo da gente descobrir (as supostas irregularidades) a gente já solicitava que o orçamento da Assembleia fosse discutido”, declarou. ´

Flávio Teixeira também negou que a prestação de contas supostamente irregular tenha relação com a investigação movida pela Polícia Federal, que acabou transferida para a Polícia Civil por decisão da Justiça. “Não tem nada a ver com aquela investigação sigilosa que parece que todo mundo ficou com receio da Polícia Federal. Por que o Ministério Público não pode se valer da Polícia Federal para investigar? A gente sabe que nem o Ministério Público tem estrutura investigativa e nem a Polícia Civil. Por que esse medo, esse temor da Polícia Federal investigar?”.

Cidadeverde.com

Tags

8 Comments

  1. Thank you, I have just been searching for information approximately this subject for ages and yours is the best I’ve came upon till now. However, what about the conclusion? Are you sure about the supply?

  2. Someone necessarily lend a hand to make significantly posts I would state. This is the very first time I frequented your web page and thus far? I amazed with the analysis you made to make this actual post extraordinary. Great process!

  3. You have to waste less time to look for your required topic on world-wide-web, since today the searching strategies of search engines are pleasant. Thatís why I fount this piece of writing here.

  4. Sweet blog! I found it while browsing on Yahoo News. Do you have any suggestions on how to get listed in Yahoo News? I’ve been trying for a while but I never seem to get there! Thanks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

Publicidade