ad16
DestaquesTodas as Notícias

Determinação judicial proíbe realização de exames cadavéricos no Hospital Regional de Picos

A decisão entrou em vigor no dia 1º de março de 2020.

Por Mateus Silva

Uma determinação judicial proibiu a realização de exames cadavéricos, atinentes a necropsia, bem como a utilização de equipamentos do Hospital Regional de Picos. A decisão entrou em vigor no dia 1º de março de 2020.

A delegada regional da Polícia Civil, Laura Carneiro, comenta sobre a ação judicial que impede a realização de pericias, exames cadavéricos e atinentes a necropsia. 

Necrotério do HRJL – Foto: Paula Monize

“Houve uma ação civil pública no âmbito da Justiça do Trabalho, e houve uma decisão judicial, que não poderá mais ser utilizado as dependências do Hospital Regional e equipamentos do hospital para que seja feita pericias, exames cadavéricos e exames atinentes a necropsia”, frisou.

Segundo Laura Carneiro, com a proibição da utilização do Hospital Regional de Picos e equipamentos, todos os casos serão encaminhados para as cidades de Floriano e Teresina.  

“A grande dificuldade será que há uma orientação do Departamento de Polícia Técnica e Científica, determinando que em caso de necessidade de exames cadavéricos ou exames relacionados a necropsia, todos deverão ser feitos na cidade de Floriano, quando o corpo não estiver em estado elevado de putrefação ou atividade menos complexa, ou a cidade de Teresina, havendo essas duas situações”, pontuou. 

Ainda de acordo com a delegada Laura Carneiro, a Secretaria de Estado de Segurança Pública junto com o Departamento de Polícia Técnica e Científica estão providenciando um local adequado para realização destes procedimentos.

“A Secretaria de Segurança Pública junto com o Departamento de Polícia Técnica e Científica já está buscando um local aqui em Picos, para que seja realizada as pericias, mas até o presente momento, a gente não tem. Até surgir esse local adequado, todos os corpos serão encaminhados para a cidade de Floriano ou Teresina”, finalizou.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade