ad16
AutoPECASonline24.pt
https://ead.uninta.edu.br/
DestaquesGeralTodas as Notícias

Em 2014, 104 mulheres solicitaram medidas protetivas contra os agressores em Picos

No dia 25 de novembro é comemorado o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher. Na cidade de Picos, várias atividades foram realizadas para marcar a data, como o Seminário de Combate a Violência contra a Mulher e panfletagens no Centro de Picos. Durante os eventos, dados alarmantes foram divulgados sobre a violência contra a mulher. Um deles é que em 2014, cerca de 104 mulheres picoenses solicitaram  medidas protetivas contra os agressores.

Violência contra a mulher
Imagem Ilustrativa

O assistente social do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, José Francisco, explica que em Picos, o número de mulheres que solicitam medidas protetivas contra a violência doméstica tem aumentado consideravelmente. Em 2014, foram registrados cerca de 104 pedidos.

“Isto ocorre quando as mulheres solicitam o afastamento do agressor do lar. Há varias instituições que elas podem estar procurando subsídios como a Delegacia da Mulher, Defensoria Pública, Ministério Público, Núcleo Mulher da Penha, dentre outros”, disse o assistente social.

José Francisco esclarece ainda que muitas mulheres não denunciam por desconhecer os mecanismos, e quais procedimentos.

Bairro Canto da Várzea é líder no caso de Violência contra a Mulher

Segundo informações divulgadas pela União das Mulheres Picoenses, o bairro Canto da Várzea é líder em casos de violência contra a mulher.

A militante da União das Mulheres Picoenses, ressalta que os números ainda são grandes no município, e devido a realidade atual a Rede de Proteção a Mulher ainda não conseguiu passar a devida segurança.

“A Rede está fraca, desarticulada. E quando ela não funciona bem passa aquela falta de credibilidade para a mulher”, disse Nega Mazé.

Nega Mazé, coordenadora da UMP - Núcleo de Picos
Nega Mazé

Nega Mazé enfatizou que a violência psicológica contra a mulher é grande. Para ela, é uma espécie de preparação do terreno para as agressões físicas.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade