ad16
SaúdeTodas as Notícias

Enfermeiros e técnicos iniciam greve e paralisam atividades em hospitais estaduais

Trabalhadores afirmam que estão há sete anos sem reajuste salarial e exigem melhores condições de trabalho, além do cumprimento do plano de carreira e pagamento de adicional noturno.

Enfermeiros e técnicos de enfermagem paralisaram as atividades na Maternidade Dona Evangelina Rosa, Zona Sudeste de Teresina, na manhã desta terça-feira (2). Os profissionais da saúde pedem melhores condições de trabalho, pagamento de adicionais noturnos, cumprimento do plano de carreira e reajuste salarial. De acordo com o sindicato, trabalhadores em hospitais em diversas cidades pelo estado aderiram à greve.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que está tomando providências para que a greve não atrapalhe o funcionamento dos hospitais estaduais pelo Piauí. A Sesapi informou ainda que uma reunião entre o secretário de administração e de saúde e a direção do Senatepi foi marcada para próxima quarta-feira (3) para discutir as pautas apresentadas pelos trabalhadores.

Trabalhadoras fazem protesto diante do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde, em Parnaíba — Foto: Divulgação
Trabalhadoras fazem protesto diante do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde, em Parnaíba — Foto: Divulgação

Segundo os trabalhadores, a reajuste no salário não acontece desde 2012. “Entrei no estado em 2012 e desde então, o meu salário é mesmo de há sete anos atrás, sem falar nas condições de trabalho, que não são boas. A gente tem que atender as crianças, como o sindicato já falou, em condições às vezes até pra fazer o impossível”, disse uma das enfermeiras.

100% dos enfermeiros e técnicos de enfermagem devem paralisar as atividades no setor de consultas e nas salas de vacinas. Somente 30% continuarão trabalhando no setor de internação hospitalar. Nas Unidades de terapia intensiva (UTI), será mantido 70% do total de enfermeiros e técnicos de enfermagem.

“Nós começamos o movimento em 2016, o movimento cessou, mediante um acordo feito no Tribunal de Justiça entre o sindicato e o Governo do Estado, e de lá pra cá, o governo não cumpriu nada do que ele acordou. O enquadramento dos profissionais que ficou de dar, o reajuste linear que o próprio Governo do Estado através da Secretaria de Administração fez o cálculo de perda salarial de 37%”, disse a coordenadora do sindicato.

Leia abaixo a nota da Sesapi na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde, informa que está tomando todas as providencias para que a greve anunciada pelo Sindicato dos Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem (SENATEPI) não traga nenhum obstáculo ao funcionamento normal e regular dos Hospitais Estaduais do Piauí.

A pauta apresentada pelo Sindicato já foi previamente submetida à Secretaria de Administração e Previdência do Governo Estado e na próxima quarta-feira (03), às 16h, os secretários de Administração, Ricardo Pontes, e Saúde, Florentino Neto, estarão recebendo a direção do SENATEPI.

A Secretaria de Saúde, ressalta ainda, a disponibilidade permanente do diálogo com a categoria e reconhece a importância da enfermagem para a garantia dos serviços de assistência à saúde.

G1 Piauí

Tags

Leia Também

Publicidade