ad16
PolíciaTodas as Notícias

Estudante de 13 anos leva granada para escola de Belo Horizonte

Um estudante de 13 anos provocou pânico em uma escola particular da zona sul de Belo Horizonte após ter sido flagrado com uma granada na mochila. O caso ocorreu na terça-feira, 22, no Colégio Santa Doroteia, localizado no bairro Sion.

Em nota oficial, a escola informou que o aluno foi “desligado”. “A conversa sobre quais os caminhos foi alinhada com a família. Triste ver um estudante sair da escola. Estou arrasada”, afirmou a diretora da instituição, Zuleica Reis Ávila. Ela não soube informar se o estudante tinha histórico de problemas. “Ele é novato, entrou este ano”.

A coordenação da instituição de ensino foi informada por colegas do aluno, que estuda no nono ano e teria exibido o artefato na sala de aula. Após recolher a granada e a colocar em uma sala isolada, o colégio chamou a Polícia Militar, que acionou o esquadrão antibombas. Foi feita uma análise e concluiu-se que a arma não tinha potencial explosivo.

A direção informou, em nota, ter comunicado o fato aos responsáveis legais do adolescente. Porém, o pai teria dito que não teria como comparecer à escola, e o garoto deixou a escola sozinho. “Os pais foram comunicados imediatamente. Não conseguimos contato com a mãe. Tentamos por diversas vezes. O pai não pode comparecer e solicitou que encaminhasse o filho para casa”, disse a diretora.

Na nota que divulgou, o Santa Doroteia lamentou o ocorrido e informa que “prontamente requisitou a presença do aluno, promovendo os esclarecimentos dos fatos para possibilitar o seguimento às medidas cabíveis”.

O colégio afirmou ainda que, “em ato contínuo, os responsáveis legais do aluno foram prontamente comunicados e, diante da relevância dos fatos e da presença do artefato bélico, foi acionada a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, para que tomasse conhecimento e conduzisse o caso dentro dos protocolos necessários”.

Na nota, a instituição tentou tranquilizar as famílias, afirmando que as medidas necessárias foram tomadas, inclusive, o desligamento do estudante. Zuleica Ávila faz um apelo para as famílias, para que monitorem mais os seus filhos e o que eles estão levando para a escola. “Gostaríamos de aproveitar esse momento e pedir às famílias que colaborem com a questão da segurança. Essa é uma responsabilidade da escola, mas é um compromisso de todos. É preciso que fiquemos atentos ao que os nossos filhos estão trazendo para a escola.”

Fonte: Estadão Conteúdo

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.