ad16
AutoPECASonline24.pt
https://ead.uninta.edu.br/
DestaquesPolíciaTodas as Notícias

Ex-procurador-geral do Ministério Público do PI é preso por corrupção

Em coletiva de imprensa na sede do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o coordenador do grupo, promotor Rômulo Cordão, confirmou que além do ex-procurador geral de Justiça, Emir Martins Filho, do seu filho, o advogado Tiago Sauders Martins e da nora Susyane Araújo Lima Sauders Martins, também foi presa a ex-mulher do procurador, Maria da Glória.

Ele informou que, no total, 12 mandados de prisão serão cumpridos. As prisões são destinadas a familiares e pessoas próximas do ex-procurador, que se beneficiaram com o esquema.Até agora foram confirmadas as prisões de Emir, seu filho – Tiago Sauders Martins, sua nora – Susyane Araujo Lima Sauders Martins, e a ex-esposa – Maria da Gloria. A quinta pessoa presa não teve o nome divulgado.
Operação realiza mandados de busca em residências dos investigados (Foto: Divulgação/PRF)
Operação realiza mandados de busca em residências dos investigados (Foto: Divulgação/PRF)
Os desvios consistiam em fraudes na folha de pagamento do Ministério Público, em que estagiários recebiam salários de até R$ 30 mil.
Atualizada às 8h25 (Horário local)

O Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou a operação “IL CAPO” com o objetivo de combater crimes praticados pelo ex-procurador-geral de Justiça do Piauí Emir Martins Filho, preso nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira (24). O investigado geriu o Ministério Público do Piauí, de novembro de 2004 a novembro de 2008.

No apartamento do investigado, situado no bairro Ilhotas, foram apreendidos documentos, mídias como uma CPU, um cofre e uma mala supostamente com dinheiro. O investigado Emir Martins Filho foi preso nesta madrugada. Ele estava sendo monitorado pelas equipes quando foi flagrado em seu carro em uma avenida em Teresina. Ao ser abordado, foi encontrado em seu veículo, uma mala com roupas e outros pertences pessoais.

Filho e nora do ex-procurador também foram presos em Picos, ambos supostos envolvidos e beneficiados nas práticas criminosas correspondentes ao caso. Eles foram identificados como Tiago Sauders Martins e Susyane Araújo Lima Sauders Martins.

A operação baseia-se em relatório de processo de controle administrativo lavrado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) em 2010.

De acordo com documentos, a auditoria realizada na folha de pagamentos dos servidores públicos do MP-PI identificou desvio de dinheiro público no período de gestão de Emir Martins Filho.

Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão na residência de todos os alvos de mandados de prisão e outros locais identificados pelas investigações como possíveis fontes de provas.

O ex-procurador geral está sendo investigado pelos crimes de peculato, corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O promotor de Justiça Rômulo Cordão, coordenador do Gaeco, enfatiza que o CNMP e MPPI estão engajados no combate à corrupção e lavagem de dinheiro, preocupados com a boa gestão pública, servindo a sociedade com excelência e dedicação. Sua equipe enviou uma nota de esclarecimento para os promotores e procuradores do Ministério Público do Piauí sobre a operação. Confira:

Colegas Promotores e Procuradores de Justica, a operação IL Capo foi deflagrada hoje após árduo período de investigação realizado pelo Gaeco PI. A mesma trata dos fatos que outrora foram objeto de inspeção pelo CNMP, os quais após algumas medidas cautelares judiciais ficaram evidentemente constatados. Na peça  que segue adiante, creio que todos, após a leitura, terão a mesma convicção e uma noção concreta de todos os fatos e circunstâncias que motivaram a presente medida. Informo, ainda que nosso maior bem, qual seja, a imagem da nossa instituição está sendo preservada e, após tais acontecimentos, sem duvida, evoluiremos mais ainda. A nobre missão que nos foi dada pela Constituição Federal e pela confiança depositada pela sociedade, não nos permite, titubear na defesa da probidade, honestidade e retidão. Desta feita, medidas extremas, porém imprescindíveis para a investigação, se mostraram necessárias e salutares, fato este que só demonstra nosso compromisso com o próprio Ministério Publico.

Agradece o GAECO.

Fonte: Cidade Verde

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade