ad16
DestaquesGeral

Exclusivo! Sai o laudo da reprodução simulada do caso Isaac assassinado em Picos

[ad#336×280]Os peritos criminais que realizaram a reprodução simulada do caso Isaac concluíram os trabalhos e finalizaram o laudo da reprodução simulada dos fatos.

De acordo com o advogado Maycon Luz, assistente de acusação, os peritos criminais do Instituto de Criminalística da Polícia Civil depois de analisarem minuciosamente cada detalhe do caso, chegaram a conclusão que não existe a possibilidade de a dinâmica do disparo que atingiu o garoto Isaac tenha ocorrido da forma como narrou e reproduziu o indiciado Martim Borges da Silva.

Os próprios peritos finalizam o laudo afirmando que “não existe a possibilidade de a dinâmica do disparo que atingiu fatalmente o menor Isaac José Luz de Sousa com um projétil de arma de fogo ter ocorrido da forma como narrou e reproduziu o indiciado Martim Borges da Silva.”

Advogado Maycon Luz - foto reprodução
Advogado Maycon Luz – foto reprodução

Segundo o advogado o laudo ainda constata que tanto nas paredes da residência como na porta de ferro não foram encontrados quaisquer vestígios (primários ou secundários) relacionados ao disparo de arma de fogo ou indicando transfixação de projétil disparado pela arma, o que para o advogado, aniquila de vez a tese defensiva.

O advogado da família do garoto Isaac ressalta ainda que o resultado do laudo só vem confirmar o que a família já sabia desde o início das investigações, ou seja, que o acusado está mentindo e realmente efetuou o disparo de forma intencional.

Maycon Luz disse ainda que a reprodução simulada dos fatos realizada foi um verdadeiro divisor de águas para o processo, pois se antes não existia, agora existe uma prova técnica capaz de comprovar que o acusado está mentindo.

O advogado assegura que o acusado Martim Borges da Silva já foi denunciado pelos crimes de homicídio doloso, omissão de socorro e posse ilegal de arma de fogo. A partir de agora o processo terá regular seguimento até o seu julgamento pelo Tribunal Popular do Júri.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade