ad16
Geral

Exploração do trabalho infantil em Picos é mais frequente do que se imagina

A exploração infatil é proibida por lei, mas essa determinação geralmente não é cumprida.

O conselho tutelar de Picos recebe em média três denúncias por semana de exploração do trabalho infantil, que é proibido por lei para menores de 14 anos. Nessa idade, o menor pode atuar como aprendiz e a partir dos 16 como empregado. Essa determinação não é seguida em muitos lugares e em Picos é prática comum.

No início do mês, os conselheiros de Picos,  receberam uma denúncia  anônima de que um comerciante da localidade de Torrões estava submetendo um adolescente de 14 anos ao trabalho ilícito.

Segundo o conselheiro Batista Pereira, a denúncia procedeu e na averiguação do fato o comerciante negou, mas foi constatada a veracidade dos fatos. Ele afirmou ainda que o adolescente  tem problemas mentais e toma remédio controlado, sua vulnerabilidade é maior porque o menor não estuda, e fica  agregado a esses trabalhos de exploração, é órfão e criado por uma tia.

“Notificamos o comerciante e fizemos o procedimento rotineiro, que é a identificação e qualificação dessas pessoas e encaminhamos para a Procuradoria do Trabalho de Picos, e agora fica por conta da procuradora  para que tome as providencias cabíveis para que essa exploração não aconteça mais. Esse tipo de exploração é mais frequente do que a sociedade imagina ”, comentou o conselheiro.

“Flagramos duas adolescentes no  povoado Cristovinho, trabalhando em uma residência que servia como bar onde elas serviam bebidas aos fregueses e serviam como damas de companhia. Não conseguimos localizar a dona do bar, mas o fato é que estamos trabalhando, estamos fazendo parcerias com o Ronda Cidadão. Essas parcerias tem frutificado, e a cada ronda que fazemos descobrimos mais problemas como este, pois dessa forma a exploração contribui para evasão escolar”, finalizou Batista Pereira.

Caso os leitores tenham presenciado ou saiba de fatos dessa natureza, você pode ajudar ligando para o DISQUE DENÚNCIA através do número 100.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

Publicidade