ad16
DestaquesPolíciaTodas as Notícias

Falta de efetivo compromete investigações de crimes em Picos, diz delegado

Ele conta que, além de Picos, a polícia civil investiga também ocorrências de cidades da região.

O delegado Agenor Ferreira Lima fala que as investigações de homicídios e tráfico têm sido prejudicadas por conta da falta de efetivo na Delegacia Regional do município. Ele conta que, além de Picos, a polícia civil investiga também ocorrências de cidades da região.

“Nós temos dado andamento às investigações, inclusive fazendo levantamentos quanto aos suspeitos, no entanto, a gente esbarra na ausência de efetivo. A nossa atribuição é de investigação de homicídio e tráfico de drogas, além de outros crimes, não temos aqui uma equipe de investigação específica para investigar os homicídios e tráfico na região de Picos, bem como, no caso do 2º DP (Departamento de Polícia), as cidades de Francisco Santos, São José do Piauí e Sussuapara”, comentou.

O delegado contou ainda que outros fatores atrapalham o trabalho da polícia, como por exemplo, a falta de estrutura que o estado oferece, segundo ele, falta até combustível para as viaturas.

“Nós temos problema com questões de viatura, questão de estrutura do prédio, mas o que eu considero como piores problemas enfrentados é a ausência de efetivo. A cidade de Picos compreende Picos e mais, salvo engano, quatorze cidades, contando apenas com quatro delegados de polícia no expediente diário, revezando entre o plantão e uma equipe de investigação reduzida”, acrescentou.

Ainda segundo o delegado, o potencial de criminalidade pode aumentar devido às precariedades que a polícia enfrenta, ele coloca que, ao saber das limitações dos agentes, os criminosos atuam sem medo. “É claro que a criminalidade sabe dessa situação, então se a criminalidade tem conhecimento que a polícia possui essa estrutura, ela cresce no local”.

Lima destaca que a polícia tem enviado solicitações de melhorias para o departamento, porém, nada é feito.

“A gente constantemente encaminha ofícios para a Delegacia Geral, Gerência de Polícia do Interior, Ministério Público e Judiciário. Nós acreditamos que o maior problema não seja nem mesmo advindo da Delegacia Geral ou da Secretaria de Segurança Pública, mas a gestão num todo, porque não é só Picos, é todo estado do Piauí, acredito eu. O que a gente tem conseguido fazer aqui é graças a um apoio constante do Poder Judiciário e do Ministério Público aqui na cidade de Picos, que realmente tem dado credibilidade, confiando no trabalho da polícia”, destacou

CONCURSO PÚBLICO

Agenor afirmou que mesmo com o concurso público realizado este ano, o quadro de pessoal ainda é insuficiente para atender a demanda.

“A gente está falando do Piauí como um todo, essa problemática de efetivo, acredito que seja em todo estado do Piauí, então o concurso público ele pode amenizar um pouco, mas não vai resolver essa situação ainda não”, finalizou.

Grande Picos

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade