ad16
CidadeCulturaDestaquesGeralMunicípios

Filme produzido no Piauí é selecionado para o Festival de Brasília de Cinema Brasileiro

Um filme produzido no Piauí está concorrendo ao título de melhor curta-metragem no 50º Festival de Brasília de Cinema Brasileiro, um dos mais importantes festivais do país. Trata-se do documentário “O Carneiro de Ouro”, da cineasta piauiense Dácia Ibiapina, que é professora da UnB e mora em Brasília-DF. A obra discute a produção audiovisual na região de Picos, considerada por alguns como a “Bollywood do sertão piauiense”, em virtude do seu alto volume de produções audiovisuais.

A cineasta piauiense Dácia Ibiapina
A cineasta piauiense Dácia Ibiapina

Mas há mesmo uma grande ou relevante produção cinematográfica em Picos? Quem é o seu cineasta mais atuante? Que histórias esses filmes contam e como essas obras repercutem na região? Essas e outras indagações são trazidas no filme, que promete ser uma revelação para o cinema brasileiro.

O filme da piauiense Dácia Ibiapina está concorrendo pelo Distrito Federal, com outros dez filmes de curta-metragem: dois de São Paulo, dois do Rio de Janeiro, dois de Pernambuco, um de Minas Gerais, um da Bahia, um de Alagoas e um do Paraná.

Exibição

O curta Carneiro de Ouro terá exibição no dia 22 de setembro (sexta-feira), às 18h30, no Cine Brasília, com entrada franca. E reprise no dia 23 de setembro (sábado), às 10h, na Câmara Legislativa do Distrito Federal, também com entrada franca.

Veja a lista dos selecionados para a Mostra competitiva de curta-metragem

A PASSAGEM DO COMETA, Juliana Rojas, SP

AS MELHORES NOITES DE VERONI, Ulisses Arthur, AL

BAUNILHA, Leo Tabosa, PE

CARNEIRO DE OURO, Dácia Ibiapina, DF

CHICO, Irmãos Carvalho, RJ

INOCENTES, Douglas Soares, RJ

MAMATA, Marcus Curvelo , BA

NADA, Gabriel Martins , MG

O PEIXE, Jonathas de Andrade, PE

PERIPATÉTICO, Jessica Queiroz, SP

TENTEI, Laís Melo, PR

TORRE, Nadia Mangolini, SP

 

Carneiro de ouro

Direção: Dácia Ibiapina

Documentário, 25 min, 2017, DF, livre

Elenco: Dedé Rodrigues, Deusimar Barros, Maurício Alves, Sandro Global e Lucicleide Araújo, Maciel e Vanessa

 

Dedé Rodrigues, realizador que faz malabarismos para produzir filmes de baixíssimos orçamentos em Picos (Foto: André Gonçalves/Revestrès)
Dedé Rodrigues, realizador que faz malabarismos para produzir filmes de baixíssimos orçamentos em Picos (Foto: André Gonçalves/Revestrès)

Sinopse:

Documentário sobre Dedé Rodrigues, realizador que produz com poucos recursos no sertão do Piauí. Seus filmes atraem multidões, em especial, a trilogia “Cangaceiros Fora de Tempo”.

A diretora

Dácia Ibiapina é rofessora de Audiovisual da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília – UnB e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação na mesma instituição. Diretora e roteirista dos filmes Palestina do Norte: o Araguaia passa por aqui (1998), O chiclete e a rosa(2001), Vladimir Carvalho: conterrâneo velho de guerra(2004), CinemaEngenho (2007), Entorno da beleza (2012), O gigante nunca dorme (2013) e Ressurgentes: um filme de ação direta (2014).

Carneiro de Ouro (Foto: Divulgação)
Carneiro de Ouro (Foto: Divulgação)

Sobre o Festival

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, realização da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, um dos mais tradicionais eventos audiovisuais do país, chega a sua 50ª edição. Sua dimensão histórica confunde-se com a trajetória do cinema brasileiro contemporâneo, pois trata-se do primeiro festival de cinema nacional, marco fundamental para a nossa produção.

Tendo como grande característica a participação maciça do público, o Festival de Brasília já enfrentou desafios, que incluem censura, crises políticas e econômicas. Chegou até mesmo a ser suspenso durante a ditadura, especificamente entre os anos de 1972 e 1974. Mas resistiu com a força e a inventividade de seus interlocutores e completa 50 edições reconhecido como um evento catalisador de ideias e irradiador das novas tendências do cinema brasileiro.

Em 2017, o Festival aponta suas antenas, também, para o futuro do nosso cinema, como, provavelmente, imaginaria o crítico Paulo Emílio Salles Gomes, principal idealizador do evento – chamado inicialmente de Semana do Cinema Brasileiro, em 1965.

Filmes selecionados para a Mostra Competitiva de sua 50ª edição

Nove filmes concorrem ao Troféu Candango na categoria longa-metragem e outros 12 competem na categoria de curta-metragem. Todos os selecionados receberão Cachê de Seleção, que este ano soma R$ 340 mil. O festival será realizado de 15 a 24 de setembro, tendo como palco principal o Cine Brasília.

Presidente do festival, o secretário de Cultura do Distrito Federal, Guilherme Reis, destaca o fato de terem sido selecionados nove longas de nove estados. “Isso mostra uma produção realmente nacional neste aniversário dos 50 anos do festival”, diz. Além disso, é importante notar a diversidade das obras em competição, reflexo de uma política de promoção cultural atenta à diversidade do país. “Há produções que abordam questões identitárias, raciais e de gênero, assim como os dilemas éticos do Brasil de hoje”, destaca.

Maior vitrine do cinema nacional e mais antigo evento do gênero no país, o Festival de Brasília mostra nesta edição a força da produção audiovisual brasileira. “O festival mantém toda sua tradição, como centro de efervescência de debates estéticos e políticos, mas também se alinha às principais questões do mercado cinematográfico e das novas tendências”, avalia o secretário Guilherme Reis.

Esta edição recebeu 778 inscritos na Mostra Competitiva, um recorde. Do número total, 608 produções são de curta-metragem. Os longas correspondem a 170 filmes.

Confira aqui os filmes que disputarão o Troféu Candango no 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Mostra competitiva de longa-metragem

ARÁBIA, de Affonso Uchoa e João Dumans, MG

CAFÉ COM CANELA, de Ary Rosa e Glenda Nicácio, BA

CONSTRUINDO PONTES, de Heloisa Passos, PR

ERA UMA VEZ BRASÍLIA, de Adirley Queirós, DF

MÚSICA PARA QUANDO AS LUZES SE APAGAM, de Ismael Cannepele, RS

O NÓ DO DIABO, de Ramon Porto Mota, Gabriel Martins, Ian Abé, Jhesus Tribuzi , PB

PENDULAR, de Julia Murat, RJ

POR TRÁS DA LINHA DE ESCUDOS, de Marcelo Pedroso, PE

VAZANTE, de Daniela Thomas, SP

Cachê de Seleção

Todos os filmes selecionados para as mostras competitivas receberão Cachê de Seleção, nos valores de R$ 15 mil para filmes de longa-metragem em Competição Oficial; de R$ 10 mil para longas na Sessão Especial Hors Concours; de R$ 5 mil para curtas em Competição Oficial; e de R$ 3 mil para longas programados em mostras paralelas.

No próximo dia 15 de agosto, será divulgada a programação completa do festival, ocasião em que serão anunciados os filmes que integram as mostras especiais, sessão hors concours, filmes de abertura e encerramento, além de seminários.

O Júri Oficial de cada categoria das mostras competitivas será constituído por cineastas, críticos, pesquisadores e artistas com comprovada experiência, designados até 15 dias antes do início do Festival. O Júri Oficial indicará os vencedores para as seguintes categorias do Troféu Candango: categoria de longa-metragem (Melhor Filme de longa-metragem, Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Trilha Sonora, Melhor Som, Melhor Montagem); categoria de curta-metragem (Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Trilha Sonora, Melhor Som, Melhor Montagem.

Esta 50a edição homenageia o diretor Nelson Pereira dos Santos, que receberá a medalha Paulo Emílio Salles Gomes pela grande contribuição ao cinema brasileiro.

Além das categorias selecionadas pela Júri Oficial, o público irá selecionar os premiados pelo Júri Popular, que receberão o Prêmio Petrobras de Cinema, no valor de R$ 200 mil, destinado à distribuição comercial do filme. Este ano, pela primeira vez, o público poderá opinar por meio do aplicativo oficial do Festival de Brasília.

Serviço

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – 50ª edição

Quando: 15 a 24 de setembro de 2017

Fonte: Portal AZ

Botão Voltar ao topo
Fechar
Publicidade