ad16
Geral

Governo do Estado beneficiará extrativismo do buriti em Valença e mais nove municípios piauienses

O Governo do Estado do Piauí, através da Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR), visando promover a agregação de valores ao extrativismo do buriti, com capacitação de técnicos e produtores e da realização de negócios, culminou o processo de valorização com a aquisição de 10 kits de beneficiamento da fruta, o que irá beneficiar cerca de 500 extrativistas piauienses.

“Os extrativistas envolvidos na coleta, beneficiamento e comercialização dos produtos do Buriti fazem parte das 10 comunidades rurais contempladas com o Projeto de Apoio para a Estruturação de Mini-fábricas Familiares de Produção de Doce e Óleo de Buriti nos municípios de Brejo do Piauí, Inhuma, Dom Expedito Lopes, Currais do Piauí, Valença do Piauí, Palmeira do Piauí, Bom Jesus, Barras e Piripiri”, disse o governador Wilson Martins.

“O Estado do Piauí tem o território identificado como estratégico para o fortalecimento da cadeia de valor do buriti, apresentando características fundamentais para a escolha de uma ação direcionada, o que inclui a quantidade produzida dos frutos do qual se extrai a massa tanto para a fabricação de doce como para extração de óleo, a inserção numa área de intensa pressão pelo avanço da monocultura de soja e por fim, o grande interesse das indústrias de cosméticos no óleo de Buriti produzido pelo Piauí”, explicou o secretário Rubem Martins.

O projeto desenvolvido está de acordo com a finalidade da ação do PPA 2B50 disponibilizando, para os extrativistas, tecnologia de produção de doce e extração de óleo - Foto: Reprodução
O projeto desenvolvido disponibiliza para os extrativistas, tecnologia de produção de doce e extração de óleo – Foto: Reprodução

“Esse projeto se apresenta como uma grande oportunidade para a melhoria de vida das famílias através do apoio com estruturas e capacitação na atividade extrativista. O apoio se deu com essa aquisição de máquinas e equipamentos para o beneficiamento do buriti bem como na capacitação para fabricação e também o acompanhamento técnico pedagógico nas atividades da cadeia nesses municípios”, detalhou o superintendente da Agricultura Familiar da SDR, Carlos Domingos Batista.

O projeto desenvolvido está de acordo com a finalidade da ação do PPA 2B50 (Fomento à Difusão de Tecnologias Sociais para Comunidades Tradicionais) por estar disponibilizando, para os extrativistas, tecnologia de produção de doce e extração de óleo, com baixo impacto e baixo custo, gerando empregos e renda com o beneficiamento local dos frutos do buriti. “Além disso, o projeto está inserido em uma ação que visa articular e realizar atividades necessárias à implementação de um componente do Programa de Apoio à Produção e Comercialização do Extrativismo (PAE), inserido nos eixos prioritários da agenda social Povos e Comunidades Tradicionais, do Ministério do Meio Ambiente (MMA)”, enfatizou Álvaro Ramos, diretor da Unidade de Agricultura Familiar da SDR.

O principal objetivo desta ação da SDR é a implementação de políticas públicas para o fortalecimento das cadeias de produtos da sociobiodiversidade, entre as quais o buriti foi considerado um dos prioritários. “O governador Wilson Martins é sensível ao desenvolvimento das comunidades extrativistas do Estado e, para isso, se coloca no imperativo de participação e investimentos que se somam às políticas públicas desenvolvidas para contribuir com a autonomia econômica solidária de base familiar”, finalizou o secretário Rubem Martins.

Composição dos kits

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural (SDR) investiu cerca de R$140 mil na aquisição dos 10 kits de beneficiamento de buriti, contendo em cada kits uma prensa móvel de extração a frio, uma despolpadeira de aço inox com capacidade para 300kg, uma máquina seladora com termostato, uma mesa inox com tampo em aço 1,80×1,20m, um tacho de alumínio com capacidade de 50kg, um baldo em aço inox com capacidade para 50kg, colher de polietileno, jaleco de tecido, touca com elástico, máscara com clips e botas de plástico.

Para os extrativistas ainda serão oferecidos cursos de legislação sanitária, contaminação de alimentos, noções de microbiologia, doenças transmitidas por alimentos, classificação e embalagem e técnicas em beneficiamento de frutas.

De acordo com o secretário Rubem Martins, em todos os projetos a serem desenvolvidos pela SDR, se buscará a utilização de metodologias participativas de levantamento de dados como, diagnóstico rural participativo e metodologia da pedagogia construtivista, entre outros.

Roselandi Sousa

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade