ad16
DestaquesGeralTodas as Notícias

Greve continua e preço da gasolina deve subir mais por falta de álcool anidro

Em Teresina e em Picos, na BR-316, e em Floriano, na BR-230, além da rodovia estadual PI-247 em Uruçuí, os protestos continuam.

A greve dos caminhoneiros chegou ao 10º dia no Piauí nesta quarta-feira (30) e um dos pontos interditados desde o início da greve, na BR-135 em Bom Jesus, foi liberado por volta das 5h. Com a liberação de rodovias e o desbloqueio do terminal de petróleo em Teresina, o abastecimento de alimentos e combustível começa a normalizar no estado.

A PRF informou que o ponto foi liberado totalmente na manhã de hoje, no trecho do KM 351 na rodovia. Já em Teresina e em Picos, na BR-316, e em Floriano, na BR-230, além da rodovia estadual PI-247 em Uruçuí, os protestos continuam.

“Continuamos com nosso ato pacífico em Teresina, sem interdição total da rodovia e esperando uma negociação com o governo federal que atenda nossos pedidos. Não queremos apenas redução do diesel, é também pela diminuição do preço do gás, da gasolina, do etanol. Não é uma luta dos caminhoneiros, mas de todos os cidadãos brasileiros, nós só tomamos a frente”, declarou o caminhoneiro Edivan Ferreiram, porta voz do protesto na capital.

Em Bom Jesus, a dispersão aconteceu mesmo sem acordo. “Acho que é o começo do fim do movimento, ontem já não havia bloqueio na rodovia e hoje a situação foi resolvida”, afirmou Antônio Carlos, morador de Bom Jesus que prestava auxílio aos caminhoneiros em protesto.

Postos

Na capital, os postos de combustíveis já estão de 40 a 50% abastecidos, segundo o Sindicato dos Postos Revendedores de Combustíveis. No interior, contudo, o percentual é menor. Alexandre Valença, presidente do sindicato, informou que outro problema pode acontecer: a falta de gasolina ou aumento excessivo do preço pela ausência de álcool anidro nas distribuidoras.

“A gasolina que usamos é uma mistura de gasolina com álcool anidro, que é mais barato e reduz o custo do combustível. Mas o que está acontecendo é que esse álcool está acabando no terminal, porque a gasolina vem de trem, mas o álcool vem de São Paulo e Goiás pelas rodovias, que estão interditadas”, explicou.

Ainda não há previsão para a situação normalizar, já que agora as distribuidoras estão repassando o combustível de forma racionada ou com valor mais alto, devido à escassez do anidro.

Correios

O volume de entregas de encomendas realizadas pelos Correios também foi afetado pela paralisação dos caminhoneiros. De acordo com a empresa, na segunda-feira (28), a entrega foi 45% menor em relação a um dia normal. Os serviços com dia e hora marcados (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) estão temporariamente suspensos até o encerramento do movimento.

Já os demais serviços de encomendas como o Sedex convencional e o PAC tiveram apenas o prazo de entrega ampliado. O atendimento nas agências dos Correios é realizado de maneira regular e a empresa continua recebendo as postagens normalmente.

Segundo os Correios, ainda não é possível mensurar o tempo necessário para a regularização das entregas dos objetos em trânsito, pois os prazos dependerão do período que durar a greve dos caminhoneiros.

Aulas

As aulas da rede pública municipal e estadual de ensino infantil e médio não foram suspensas. Já as instituições de ensino superior suspenderam as aulas na terça-feira (29).

Nesta quarta-feira (30), a Universidade Estadual do Piauí informou que retornou às atividades normais em todos os campi. A Universidade Federal do Piauí suspendeu em alguns campi, como em Teresina, o funcionamento até o dia 4 de junho, em outros não houve suspensão das atividades. O Instituto Federal do Piauí suspendeu as aulas apenas em alguns locais, mas na capital não houve suspensão.

G1 Piauí

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade