ad16
Polícia

Homem é preso em Picos com celular na cueca tentando fraudar concurso da PM

[ad#336×280]Um pernambucano foi preso nesse domingo (23) tentando fraudar o concurso da Polícia Militar do Piauí na cidade de Picos. Segundo o delegado regional, Antônio Madisson Vieira, Charles Francisco Santana da Silva foi preso em flagrante com um aparelho celular dentro da cueca. Ainda de acordo com a polícia, o celular estava no modo silencioso e o suspeito já tinha recebido mensagens com gabarito da prova.

A polícia descobriu que o rapaz estava com o aparelho porque o sistema de segurança do colégio Machado de Assis alertou sinal eletromagnéticos dentro da escola.“Ele estava vestido com três cuecas para evitar que fosse descoberto. O suspeito disse que pagaria R$ 8 mil para a pessoa que estava repassando o gabarito da prova, caso fosse aprovado no concurso. Ele não quis informar o nome dessa pessoa”, contou o delegado.

Concurso da PM do Piauí
Concurso da PM do Piauí

Charles é natural de Belém de São Francisco no Pernambuco. O delegado contou ainda que o crime foi afiançado em 20 salários mínimos o que corresponde a R$ 14.480. O suspeito continua preso aguardando a decisão da Justiça. Outras três pessoas também foram encaminhadas para Central de Flagrantes de Picos suspeitas de participação na fraude.

De acordo com o Núcleo de Concurso de Promoção de Eventos (Nucepe), responsável pela organização do certame, este foi o único flagrante de candidato tentando fraudar o concurso neste ano. O presidente do Nucepe, Jorge Martins,  avalia como tranquila a aplicação das provas.

“O esquema de segurança mais uma vez funcionou. As pessoas desavisadas, ou não, foram identificadas e eliminadas. Alguns candidatos não atentam para as normas e vão fazer a prova, às vezes, sem a identificação correta como, por exemplo, com fotocópia da carteira de identidade, o que não é permitido”, explicou.

Pernambucanos presos

Esta não é a primeira vez que pernambucanos são presos tentando fraudar o concurso da Polícia Militar no Piauí. No dia 1º de dezembro do ano passado quando a prova do concurso da PM foi aplicada pela primeira vez, 13 pessoas foram presas suspeitas de integrar quadrilha especializada em fraudar concursos públicos. Entre os integrantes do grupo havia seis pernambucanos que na época foram encaminhados para a Central de Flagrantes em Teresina e soltos após pagamento de fiação.

“Com eles encontramos aparelhos enrolados até com preservativos e que continham os gabaritos”, disse o delegado Menandro Pedro, titular do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco).

Fonte: G1 Piauí

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade