ad16
DestaquesGeralJaicósMunicípiosTodas as Notícias

Jaicós: Município vive uma das maiores crises da sua história

[ad#336×280]O município de Jaicós vive uma das maiores crises da sua história. A situação preocupa os moradores da cidade, que estão sendo os mais prejudicados com os desmandos da administração da prefeita Waldelina Crisanto (PRP).

A crise iniciou no último dia 16 de outubro com o corte do fornecimento de energia elétrica feito pela Eletrobras em vários prédios do poder público municipal da cidade, inclusive o da Prefeitura, por falta de pagamento. A sede do poder executivo do município está com as portas fechadas.

Prefeitura está com a porta fechada desde o último dia 16 de outubro-Foto: Romário Mendes
Prefeitura está com a porta fechada desde o último dia 16 de outubro-Foto: Romário Mendes

Segundo o vice-prefeito do município, Ogilvan Oliveira, conhecido como Neném de Edite (PRP), o prédio da Prefeitura fechado é um prejuízo para o munícipio, uma vez que o local emite notas fiscais de impostos e no momento esse serviço está parado.

“Até hoje a prefeita e nem seus assessores não dão explicação ao povo de Jaicós. Não explicam o que está acontecendo. Segundo comentários que existe um débito absurdo, mas até hoje a sociedade está pedindo uma explicação de quais são esses débitos”, denuncia o vice-prefeito.

Vice-prefeito Ogilvan Oliveira, conhecido como Neném de Edite (PRP)-Foto: Romário Mendes
Vice-prefeito Ogilvan Oliveira, conhecido como Neném de Edite (PRP)-Foto: Romário Mendes

Ogilvan informou que esteve em Teresina ontem, dia 28, e denunciou o caso ao Ministério Público. Ele afirmou ainda que o MP local já tem conhecimento da situação.

Além do corte do fornecimento de energia elétrica nos prédios da secretaria de Agricultura e de Assistência Social, o vice-prefeito denunciou ainda a falta de medicamento na secretaria de Saúde; atraso de salário dos servidores; lixo nas ruas; abandono e falta de luz no cemitério da cidade; funcionários e fornecedores com pagamentos atrasados e a dívida com a Eletrobras chega a quase R$ 1 milhão de reais.

Prédio da secretaria de Assistência Social está fechado-Foto: Romário Mendes
Prédio da secretaria de Assistência Social está fechado-Foto: Romário Mendes
Porta do Centro de Referência Social do município está quebrada-Foto: Romário Mendes
Porta do Centro de Referência Social do município está quebrada-Foto: Romário Mendes

A nossa reportagem flagrou ainda alunos da rede municipal de ensino sendo transportados em caminhões pau de arara. No município existem oito ônibus escolares para alunos de 21 escolas.

Alunos sendo transportados em pau de arara-Foto: Romário Mendes
Alunos sendo transportados em pau de arara-Foto: Romário Mendes
Um dos oito ônibus que transportam alunos do município-Foto: Romário Mendes
Um dos oito ônibus que transportam alunos do município-Foto: Romário Mendes

Coleta de Lixo

A coleta de lixo, que antes era feita todos os dias, hoje acontece apenas duas vezes na semana. Os moradores reclamam ainda que os garis recolhem apenas o lixo doméstico. Caixas e sacolas plásticas são deixadas de lado.

Caixas e sacolas plásticas são deixadas de lado-Foto: Romário Mendes
Caixas e sacolas plásticas são deixadas de lado-Foto: Romário Mendes

A comerciante Mariela Dantas informou que na cidade existem apenas dois coletores de lixo. “Não dá tempo deles fazerem tudo. Só se eles trabalhassem de manhã, tarde e noite, mas eles não ganham o suficiente para trabalharem em três turnos”, disse.

Lixo jogado na rua-Foto: Romário Mendes
Lixo jogado na rua-Foto: Romário Mendes
Apenas dois coletores recolhem o lixo na cidade-Foto: Romário Mendes
Apenas dois coletores recolhem o lixo na cidade-Foto: Romário Mendes

Mesmo preocupada com o lixo, Mariela solicita que o poder público local faça pelos menos melhoria na área da saúde. “Eles deixaram de acolher as pessoas que ficavam na casa de repouso, em Teresina. O carro que transportava os pacientes para a capital também não está indo mais. Então o que está me preocupando, além do lixo,  é a saúde dos pacientes também”, relatou a comerciante.

Comerciante mostra o lixo ao fundo, que fica em frente ao seu comércio - Foto: Romário Mendes
Comerciante mostra o lixo ao fundo, que fica em frente ao seu comércio – Foto: Romário Mendes

Cemitério

O cemitério do município está abandonado e sem energia elétrica. Mesmo com a aproximação do Dia de Finados, o poder público não tomou ainda nenhuma providência quanto à retomada da energia e nem a limpeza do local. Os familiares que pretendem visitar seus entes queridos no próximo domingo (2) estão preocupados com a situação.

Cemitério está sem energia elétrica e abandonado-Foto: Romário Mendes
Cemitério está sem energia elétrica e abandonado-Foto: Romário Mendes
Túmulos estão em situação precária-Foto: Romário Mendes
Túmulos estão em situação precária-Foto: Romário Mendes

O agricultor Raimundo Camilo de Sousa disse que não sabe como vai transcorrer a visita dos familiares ao cemitério este ano. Segundo ele, além da falta de energia o local praticamente está abandonado. “Está tudo sujo. Não limparam mais. Não sei como vai ficar aqui daqui pra frente”, lamentou Raimundo.

Agricultor Raimundo Camilo de Sousa-Foto: Romário Mendes
Agricultor Raimundo Camilo de Sousa-Foto: Romário Mendes

Outro Lado

Procuramos a prefeita Waldelina Crisanto (PRP) para falar sobre o assunto, mas não a encontramos. O esposo da prefeita, o secretário de Saúde, Crisanto Neto, foi quem falou sobre a crise na cidade.

Em relação ao corte do fornecimento de energia nos prédios públicos do município, Crisanto alegou que a situação financeira da cidade está precária. Ele argumentou ainda que a dívida do prédio da Prefeitura junto a Eletrobras é do Hospital do município.

“A energia do Hospital Floriza Silva não estava sendo paga há quatros anos. Estamos pagando aos poucos, mas houve um atraso de três meses e o corte de energia do prédio da Prefeitura foi em decorrência do atraso do pagamento da conta do Hospital. Decidimos deixar cortar o da Prefeitura porque não podemos deixar cortar a do Hospital”, explicou.

Marido da prefeita e secretário de Saúde, Crisanto Neto-Foto: Romário Mendes
Marido da prefeita e secretário de Saúde, Crisanto Neto-Foto: Romário Mendes

O secretário informou que a Prefeitura está procurando parcelar esses débitos para poder regularizar a situação.

Sobre o lixo, o secretário afirmou que o serviço está sendo feito normalmente, mesmo com o atraso do salário dos garis. “A coleta está sendo feita, embora de uma maneira precária, devido o número pequeno de veículos, mas o pessoal tá trabalhando, mesmo com um mês de salário atrasado”, afirmou.

Quanto ao transporte dos alunos em caminhão pau de arara, Crisanto disse que é uma prática normal no Piauí. “Isso acontece no Piauí inteiro, nós não temos ônibus para todo o alunado. O Governo Federal não nos dá condição de adquirir esse transporte. Então o transporte de carro aberto é normal e corriqueiro no Piauí inteiro”, concluiu o secretário.

Transferências Constitucionais e Transparência

A reportagem fez uma pesquisa na ferramenta de verificação de transferências constitucionais do Tesouro Nacional e constatou que o município de Jaicós recebeu até o mês de outubro de 2014 a quantia de R$13.937.384,76  conforme pode ser visto na tabela abaixo. As transferências específica na área de Educação, chegaram ao valor de R$ 6.969.433,16 até este mês de outubro. CLIQUE AQUI e FAÇA SUA PESQUISA

Tabela de transferências constitucionais do município de Jaicós - Fonte; Tesouro Nacional
Tabela de transferências constitucionais do município de Jaicós – Fonte; Tesouro Nacional

Consultamos o PORTAL DA TRANSPARÊNCIA da Prefeitura de Jaicós e nele não constam lançamentos de receitas, despesas, licitações e gastos com pagamento de pessoal no ano de 2014, conforme pode ser consultado CLICANDO AQUI. Nos lançamento, apenas foram constatados a relação de fornecedores, mas sem mostrar pagamentos ou valores empenhados. As licitações realizadas ou em andamento no corrente ano também não estão disponíveis. Foram verificados apenas lançamentos em 2013.

A Lei Complementar 131/2009 – lei da Transparência – altera a redação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no que se refere à transparência da gestão fiscal. O texto inova e determina que sejam disponíveis, em tempo real, informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Com a palavra a Prefeitura de Jaicós.

Colaborou nessa reportagem Roger Bezerra

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade