ad16
EsporteJaicósMunicípiosTodas as Notícias

Jovem jaicoense se destaca no futebol e é cotado para o time do Santos

Com determinação, força de vontade, garra, persistência, fé e muito, muito esforço. É assim que o jovem jaicoense Wesley Batista da Silva, de apenas 18 anos de idade, tem conseguido caminhar em busca do seus objetivos e chegar cada vez mais perto de realizar o seu sonho.

O sonho de Wesley é compartilhado, almejado, esperado por muitos. Assim como milhares de outros garotos, ele sonha em ser um jogador profissional de futebol, atuando como goleiro. Futebol, para muitos, uma paixão, para Wesley mais que isso, uma vocação, que tem o levado cada vez mais adiante.

Wesley Batista

Filho da jaicoense Francidalva Santana Batista e do apicultor, Ivan de Araújo Silva, que é natural de Campo Grande do Piauí, Wesley morava na comunidade Carnaíba, zona rural de Jaicós. Sua mãe viajou para São Paulo, mas no ano de 2012 retornou à sua terra, a centenária cidade de Jaicós,  e Wesley passou a morar com a mãe, e foi em Jaicós onde ele começou a aprender o futebol.

“Morava no interior de Carnaíba quando minha mãe viajou para são Paulo. Assim que ela voltou, em 2012, fui morar  com ela em Jaicós, cidade onde nasci, e lá aos poucos fui conhecendo tudo sobre a bola, comecei a dar os primeiros passos no futebol com o meu tio Fabiano Santana, ele foi me ensinando a dar os primeiros chutes na bola. O tempo foi passando e fui evoluindo, crescendo, comecei a treinar com o pessoal nos campos de Jaicós e aí foram surgindo algumas oportunidades nos times de interior e das cidades e assim fui mim destacando e comecei a me apaixonar cada vez mais pelo futebol” contou ele.

Wesley conta que as oportunidades na sua cidade eram difíceis e que conseguiu passar em seu primeiro teste na cidade de Paulistana. “Acho que o sonho de qualquer garoto é ser jogador de futebol, mas como aí em Jaicós as oportunidades para ser profissional não existem eu jogava mais para me destacar sobre os times da cidade de Jaicós mesmo, mas sempre com pensamento em viajar para fora, tentar a sorte, mas nunca vinha essa oportunidade. Até que surgiu uma oportunidade no teste do Vasco, em Paulistana, e lá consegui passar o meu primeiro teste, e eu teria que passar uma semana com alguns colegas de Jaicós no Rio de Janeiro, mas minha família achou melhor que eu não fosse” contou ele.

O jovem jaicoense reside há cerca de 8 meses na Baixada Santista, Praia grande (SP), onde vem se destacando no esporte. “Comentei com minha família e eles acharam melhor me trazer para São Paulo, consegui vir e aqui em São Paulo venho me destacando nos treinos e jogos. Comecei a atuar na seleção da Praia Grande, fui inscrito na associação Paulista, em campeonatos que jogam times como o Santos e Palmeiras, e em jogos regionais. Antes disso fiz também uma avaliação no Jabaquara FC, um clube tradicional da Baixada Santista. Consegui passar, mas no sub 20 e o Jabaquara não vai competir o sub 20 esse ano, então acabei sendo dispensado” falou.

Mas não demorou para surgir outra oportunidade para o garoto, que conseguiu atrair a atenção de um olheiro e hoje é cotado para o time do Santos. “Jogando nos times de Várzea em alguns fins de semana atrai um cara que gostou do meu futebol e conseguiu uma avaliação no Santos FC e lá estou indo treinar, mas ainda não está certo que entrarei realmente para o time, alguns detalhes ainda me impedem de ficar em definitivo no Santos. Mas talvez seja assim mesmo. Vou continuar minha rotina e tudo será no seu tempo, e quem sabe, em breve serei um jogador profissional. Sei que cada vez fica mais perto eu conseguir, e assim, estou treinando muito, todos os dias. Tive que superar muitas coisas, e apesar de altos e baixos no futebol em Jaicós, nunca pensei em desistir e sigo treinando firme” disse ele.

Finalizando, Wesley disse que conta com o apoio da família e que foi influenciado por ela, e, principalmente pela avó. “Minha família toda me influenciou no futebol, principalmente minha vó, que me ajudou muito e ainda ajuda. Mas em Jaicós, como não existiam oportunidades eles não tinham muito o que fazer, mas agora que consegui vir para São Paulo minha família me dá muitos conselhos e apoio. Então, toda minha família me influenciou a entrar no futebol” concluiu.

A história de Wesley é uma entre as várias histórias de superação e vitória do povo jaicoense, que apesar das dificuldades, segue em busca de seus sonhos. Pois, como escreveu o jovem cordelista Paulo Pereira, em homenagem à querida “Terra do Galo”, como é mais conhecido o município de Jaicós, “Nossa cidade é pequena, mas o nosso povo é gigante”.

Fonte: Cidades Na Net 

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Leia Também