ad16
DestaquesPolíciaTodas as Notícias

Maior caçada a criminoso no país chega ao fim; Lázaro é preso em Goiás, diz governador

Suspeito de chacina em Ceilândia, no DF, era procurado por uma força-tarefa policial desde 9 de junho.

Após 20 dias de uma megaoperação, com mais de 270 policiais, Lázaro Barbosa, de 32 anos, foi preso nesta segunda-feira (28), em Goiás. A informação foi divulgada pelo governador Ronaldo Caiado. Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás. Ele também é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás.

Governador do Goiás já confirmou morte de criminoso

“Acabo de receber neste momento uma informação de todas as equipes que estão na região de Cocalzinho que o Lázaro foi preso”.

“Como eu disse, era questão de tempo até que a nossa polícia, a mais preparada do País, capturasse o assassino Lázaro Barbosa. Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido”, disse o governador Ronaldo Caiado em uma rede social.

VÍDEO: Quem é Lázaro Barbosa, fugitivo procurado por mais de 200 agentes

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) de Goiás informou que o suspeito deve ser encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para o exame de corpo de delito e, em seguida, será levado para o presídio de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Fuga cinematográfica

Os passos de Lázaro: onde o suspeito já foi visto ou cometeu crimes no Centro-Oeste
Os passos de Lázaro: onde o suspeito já foi visto ou cometeu crimes no Centro-Oeste

As buscas começaram no dia 9 de junho, após o crime no DF. Na fuga, Lázaro roubou um carro e foi para a cidade de Cocalzinho de Goiás, a 80 km de distância. Desde então, foi perseguido pela força-tarefa policial pelas matas da região (leia detalhes mais abaixo).

Drones, helicópteros, rádios comunicadores e até um caminhão com uma plataforma de observação elevada de videomonitoramento ajudaram nas operações.

Cães farejadores também atuaram na caçada a Lázaro. A cadela Cristal, que ajudou nas buscas em Brumadinho (MG), estava entre eles. Um dos animais, o pastor alemão Sauke, se machucou em uma pedra dentro de um rio. Um vídeo mostrou o momento em que o cão foi carregado nas costas por um militar (veja mais abaixo).

Durante a perseguição, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, trocou tiros e baleou moradores, dois policiais militares e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), segundo informações da força-tarefa.

VÍDEO: Polícia encontra três vítimas de Lázaro em rio de Goiás
Polícia encontra três vítimas de Lázaro em rio de Goiás

Ele também fez uma família refém em uma das fazendas – o casal e uma adolescente de 16 anos. Durante o sequestro, o criminoso exigiu que todos andassem em um córrego para não deixar rastros. Imagens registraram o momento em que a polícia encontrou a família (veja no vídeo acima).

Durante as buscas, os policiais encontraram ainda um carro queimado e alguns objetos, como um lençol usado e um serrote. Todos os itens seguiram para a perícia.

Pastor alemão Sauke feriu a pata em uma pedra durante buscas a Lázaro Barbosa
Pastor alemão Sauke feriu a pata em uma pedra durante buscas a Lázaro Barbosa

Veja outros crimes cometidos por Lázaro

Há 14 anos Lázaro acumula passagens policiais, crimes e fugas de presídios, a começar pela cidade em que nasceu na Bahia, Barra dos Mendes, onde é acusado de um duplo homicídio em 2007.

À época, segundo a Polícia Civil baiana, Lázaro ficou nove dias escondido numa mata e decidiu se entregar porque estava ferido. Ele fugiu dez dias depois.

Em 2011, Lázaro foi preso e condenado por roubo e estupro no DF. O crime foi cometido em 2009 por ele e um irmão, que morreu dois anos depois. Lázaro ficou na Penitenciária da Papuda (CPP), em Brasília. Ele chegou a fazer cursos de “empatia, sexualidade e para se colocar no lugar das vítimas”.

Condenado por roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo no DF, ele saiu em 2016 no indulto de Páscoa e não voltou mais.

Lázaro chegou a ser detido novamente em 2018, em Águas Lindas de Goiás, mas fugiu do presídio por um buraco no teto da cela, com mais quatro detentos. Ele foi o único do grupo a não ser recapturado.

Buraco no teto da cela aberto para a fuga de Lázaro Barbosa da cadeia de Águas Lindas de Goiás, em 2018 — Foto: Reprodução/Polícia Militar
Buraco no teto da cela aberto para a fuga de Lázaro Barbosa da cadeia de Águas Lindas de Goiás, em 2018 — Foto: Reprodução/Polícia Militar

Desde então, Lázaro é suspeito de assaltar chácaras em cidades goianas do Entorno e no Distrito Federal. Em Cocalzinho de Goiás, ele é investigado por matar um caseiro no fim de maio. Quatro dias depois, foi acusado de matar a família Vidal, em Ceilândia.

Cláudio Vidal, Cleonice Marques, Gustavo Vidal e Carlos Eduardo Vidal foram mortos por Lázaro Barbosa, segundo a polícia — Foto: Arquivo pessoal
Cláudio Vidal, Cleonice Marques, Gustavo Vidal e Carlos Eduardo Vidal foram mortos por Lázaro Barbosa, segundo a polícia — Foto: Arquivo pessoal

Veja o histórico de prisões e fugas:

  • 2007: Lázaro Barbosa foi preso em Barra dos Mendes, na Bahia, acusado de matar duas pessoas. Secretaria de Segurança Pública da Bahia diz que ele fugiu cerca de 10 dias após a prisão e é considerado foragido desde então;
  • 2009: Lázaro foi preso Corumbá de Goiás, suspeito de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo;
  • 2013: Laudo psicológico feito na cadeia no DF descreve Lázaro como “psicopata imprevisível”, com comportamento agressivo, impulsivo, instabilidade emocional e falta de controle e equilíbrio;
  • 14 de março de 2014: Prisão de Lázaro foi convertida para regime semiaberto;
  • 28 de março de 2016: Lázaro fugiu da cadeia na Penitenciária da Papuda, em Brasíia, após um “saidão” de Páscoa;
  • 8 março de 2018: Lázaro Barbosa foi preso em Águas Lindas de Goiás por mandados de prisão por homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro;
  • 23 de julho de 2018: Lázaro fugiu da cadeia em Águas Lindas de Goiás;
  • 8 de abril de 2020: Ele foi indiciado pelos crimes de roubo mediante restrição da liberdade das vítimas e emprego de arma branca e por tentativa de latrocínio, por suspeita de invadir uma chácara em Santo Antônio do Descoberto, Goiás. Na época ele golpeou um idoso com um machado;
  • 26 de abril de 2021: Lázaro invadiu uma casa no Sol Nascente (DF), quando trancou pai e filho no quarto e levou a mulher para um matagal e a estuprou;
  • 17 de maio de 2021: Segundo a polícia, ele fez uma família refém na mesma região, ameaçando os moradores com faca e arma de fogo. Nesse crime, ele mandou as pessoas ficarem nuas;
  • 5 de junho: Polícia Civil investiga a morte de um caseiro em uma fazenda no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás quatro dias antes da chacina em Ceilândia;
  • 9 de junho de 2021: Lázaro é suspeito de invadir uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde teria matado a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Ele também praticou roubos na no local após o crime. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele.
Carro abandonado queimado por Lázaro na BR-070, segundo a polícia — Foto: TV Globo / Reprodução
Carro abandonado queimado por Lázaro na BR-070, segundo a polícia — Foto: TV Globo / Reprodução
  • 11 de junho de 2021: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás.
  • 12 de junho de 2021: ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região e um deles estava internado até a quarta-feira (23).
  • 13 de junho de 2021: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 dando sequência à fuga para uma mata;
  • 14 de junho de 2021: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido.
  • 15 de junho de 2021: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia, povoado de Cocalzinho.
  • 16 de junho de 2021: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural;
  • 17 de junho de 2021: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de Segurança Pública disse acreditar que fugitivo estava ferido;
  • 18 de junho de 2021:, houve intensa movimentação da força-tarefa após denúncia de que criminoso havia sido visto em chiqueiro de chácara. Barreiras em estradas e rodovias foram montadas.
  • 19 de junho de 2021:, a houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas de Goiás depois que moradores afirmaram terem visto o suspeito pela região. Um deles chegou a contar que viu Lázaro em uma gruta. Uma cadela que atuou em Brumadinho e outros três cães farejadores chegam para ajudar nas buscas por Lázaro Barbosa.
  • 20 de junho de 2021: com medo de Lázaro, uma família com grávida dormiu dentro de carro em frente à sede da força-tarefa em Cocalzinho de Goiás. Novas buscas ocorrem na zona rural.
  • 21 de junho: uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área;
  • 22 de junho: policiais retomaram buscas por Lázaro e receberam rádios comunicadores do Exército, com alcance de 30km. Um carro queimado, um lençol e um serrote foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado. Também houve uma troca de tiros entre um caseiro e um suposto invasor;
  • 23 de junho: Um fazendeiro disse que atirou contra um invasor na região de buscas por Lázaro Ele relatou que o local tinha sido furtado dias antes. Buscas pelo fugitivo se concentravam em área de chácaras nas proximidades da BR-070, em Goiás;
  • 24 de junho: Polícia Rodoviária Federal faz barreiras nas estradas em busca do fugitivo. Operações policiais contavam com imagens de satélite e drones com visão térmica.

G1 GO

 

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade