ad16
CidadeDestaquesTodas as Notícias

Moradores fecham acesso ao novo lixão do Valparaíso

Fiscal sanitário requisitado pelo Ministério Público constatou as irregulares no local que deveria ser um aterro sanitário

Há anos a comunidade do povoado Valparaíso luta contra as irregularidades constatas no aterro sanitário de Picos. Por volta das 18h00 desta quarta-feira, 08, os moradores interditaram a entrada e os caminhões de coleta estão estacionados fora do local.

Entre as irregularidades apontadas estão o descarte irregular de resíduos, não uso da manta protetora, mau cheiro, infestação de insetos e queima constante dos resíduos.

Na manhã desta quinta-feira, 08, um fiscal da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), esteve no local após solicitação do Ministério Público.

“Estou aqui para saber como está sendo disposto o lixo na área de exposição final. Isso daqui é um lixão e funciona há muito tempo como um. Será realizado um relatório de inspeção que posteriormente será enviado para a promotoria de Picos”, disse o engenheiro civil e sanitarista, Urias Gonzaga do Nascimento.

Ainda de acordo com o engenheiro, o município deveria seguir o projeto e a determinação do plano de gerenciamento integrado de resíduos.

Moradores da comunidade acompanharam a visita do fiscal. Nossa reportagem esteve no local e pode constatar as condições insalubres do aterro como montanhas de lixo amontoadas a céu aberto, insetos, restos de animais, urubus e mau cheiro.

“O lixão é uma disposição que condenamos, dessa forma pode causar todo os tipos de danos que se podem imaginar. O lixo é algo homogêneo, não se sabe o que se tem dentro. Ele está a céu aberto e sendo queimado, causando danos nas formas físicas, liquidas e aéreas “, explicou Urias.

A presidente da Associação de Moradores do Povoado Val Paraíso, Rosilene Moura, afirmou que a entrada continuará obstruída ate que o município tome medidas urgentes acerca das irregularidades.

“De acordo com o fiscal é preciso abrir uma nova vala, jogar esse lixo e trabalhar esse outro que está aí a céu aberto há mais de anos. Nosso principal receio é que o lençol freático seja prejudicado, nós que bebemos água do poço seremos os maiores prejudicados. Nada que a prefeitura nos disse foi cumprido. Estamos aqui lutando pela nossa comunidade”, disse a presidente.

Rosilene afirmou que os moradores estão unidos e irão em comissão ao Ministério Público para fazer valer os seus direitos.

VEJA MAIS IMAGENS DO LIXÃO

Picos 40Graus

Tags

Leia Também

Usamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Se você continuar a usar este site, você concorda com o uso de cookies.
Usamos cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Se você continuar a usar este site, você concorda com o uso de cookies.
Publicidade