ad16
GeralPolítica

Mudanças partidárias alteram a conjuntura política da Câmara Municipal

 

Iata Ânderson
Iata Ânderson comenta crescimento do PSB e redução do PMDB. Foto: Jailson Dias

No início da atual legislatura a Câmara Municipal de Picos contava com sete vereadores na base aliada ao prefeito Gil Marques de Medeiros, o Gil Paraibano (PMDB), e três na oposição, dois anos e dez meses depois os números permanecem os mesmos, mas a troca de legendas políticas deu uma feição diferente ao legislativo. Dentre as mudanças mais significativas estão o crescimento do PSB, a redução do PMDB e sua mudança de postura e o PP, que também mudou sua orientação política.

Além do vereador José Rinaldo Cabral Filho, aliado de primeira hora ao deputado estadual Warton Santos (PMDB), também aderiu ao PSB o vereador Zé Luís, ex-PV. Segundo o presidente da Câmara Municipal, vereador Iata Ânderson (PSB), Zé Luís faltou à sessão da tarde da quinta-feira (29) porque estava em Teresina requerendo a sua nova filiação. O PSB teria 30 pré-candidatos a Câmara Municipal, além da deputada estadual Tazmânia Gomes de Medeiros, Belê, que deverá disputar a prefeitura municipal.

O PV de Picos teria sofrido um esvaziamento considerável, pois junto ao vereador Zé Luís outras lideranças também teriam deixado o Partido Verde pelo Partido Socialista Brasileiro. “Nós estamos trabalhando para que todos partidos possam eleger de 10 a 15 vereadores para as eleições do ano que vem”, comentou Iata Ânderson.

Iata disse ainda que há uma insatisfação por parte do PMDB, citando a perda de nomes importantes, dentre eles o vereador Manoel Vieira que poderá se filiar ao PSD, além do suplente de vereador Raimundo Nunes Ibiapino, o Rentato que foi para o PSB. “É uma queda muito grande nas fileiras do PMDB e isso vai gerar uma insatisfação que poderá ser representada talvez através de processos de infidelidade partidária”, declarou Iata.

Outro partido que mudou completamente a sua orientação foi o PP, que saiu da oposição e agora é situação. Os dois vereadores Antônio Afonso e Francisco de Assis Pio da Silva, o Titico, se tornaram defensores da administração Gil Paraibano, apenas Edilson permaneceu oposição, e rumou para o PTB. Embora a Câmara Municipal de Picos mantenha números semelhantes ao início da atual legislatura, o equilíbrio de poder foi alterado e o legislativo ganhou uma feição diferente.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade