ad16
DestaquesTodas as Notícias

Mulheres Admiráveis: a história de Ana Paula, mulher, mãe e professora

“Ser mulher, mãe e professora é uma missão tripla dada por Deus. É preciso ter muita fé, humildade e coragem para poder ministrar tudo com sucesso”, disse a professora.

Em homenagem ao mês de março, mês das mulheres, a equipe do RiachãoNet preparou uma série especial para mulheres admiráveis, que com muita garra e determinação venceram um dos anos mais difíceis de suas vidas.

A professora

Ana Paula de Jesus Sousa tem 27 anos e é professora de linguagens no Colégio Machado de Assis e Dona Calu, em Jaicós, onde ensina para a educação infantil. A pedagoga sempre sonhou em exercer essa profissão e transformar a vida de jovens por meio da educação.

Ana Paula Sousa sendo empossada no seu concurso em Jaicós – Foto: arquivo pessoal

Ganhando cada vez mais espaço em sua área de atuação, Ana Paula sempre correu atrás dos seus sonhos dando o seu melhor. Para ela, o contato com os alunos é essencial e durante todo o último ano, o afastamento na relação aluno e professor, foi o que mais atrapalhou a sua didática. Pois além de lidar com algo novo que era as aulas online, teve que aprender como lidar com uma gravidez durante a pandemia.

“A aula online não tem aquela interação que tem na presencial, o contato físico com o aluno é primordial na aprendizagem, rola uma dinâmica melhor, uma interação melhor e o ensino aprendizagem ocorre até mais de uma forma mais natural”, disse a professora. Que apesar de sentir falta do contato físico, ficou mais aliviada por poder ficar em casa em um momento tão difícil que o país está enfrentando.

A mãe

Ana Paula já tinha passado por uma gravidez que não tinha dado certo e por ter engravidado novamente em um momento tão incerto que é essa pandemia, ficou apreensiva. “Com o papel de professora, eu tive que começar a sair de casa de barriga, gestante, de forma bem receosa, porque além de você ficar preocupada consigo mesma, ainda tem a questão da gravidez, riscos que eu estava correndo”, lembrou.

Foto: arquivo pessoal

A professora também contou que não foi uma tarefa fácil encarar essa jornada dupla, pois para exercer sua profissão com maestria, é preciso atenção, estudo e pesquisa e às vezes por conta de algumas fases da gravidez, como enjoou e sonolência, a experiência se tornou difícil.

Mas apesar das dificuldades, do estresse e da adaptação ao novo normal, Ana Paula acredita que o isolamento tenha ajudado ela, principalmente em relação a sua gravidez, pois a sua primeira gestação não deu certo por conta da correria e da vida agitada. “Ser mulher, mãe e professora é uma missão tripla dada por Deus. É preciso ter muita fé, humildade e coragem para poder ministrar tudo com sucesso”, finalizou.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade