ad16
https://ead.uninta.edu.br/
AutoPECASonline24.pt
DestaquesJaicósMunicípiosPolícia

Nutricionista grávida é agredida por PM em Jaicós

[ad#336×280]O médico Wilson Coutinho denunciou ao Cidadeverde.com que sua esposa, a nutricionista Carla Marreiros, grávida de seis meses, teria sido agredida por policiais militares da 3ª Companhia do 4º BPM em Jaicós (a 352 quilômetros de Teresina). A agressão teria acontecido no final da noite deste sábado(12) na casa dos pais de Carla e também teria atingido seu pai, o professor Rafael Marreiros, que teria levado um “pisão” dos militares.

De acordo com a denúncia do médico, quatro policiais militares chegaram à residência, localizada no bairro Serranópolis, procurando pelo irmão da nutricionista que teria fugido de uma abordagem em Massapê, município vizinho, por estar supostamente embriagado.

Nutricionista Carla Marreiros, grávida de seis meses, teria sido agredida por policiais militares da 3ª Companhia do 4º BPM em Jaicós - Foto: Portal Saiba Mais
Nutricionista Carla Marreiros, grávida de seis meses, teria sido agredida por policiais militares da 3ª Companhia do 4º BPM em Jaicós – Foto: Portal Saiba Mais

“Ao ouvir um barulho, (Carla) levantou-se e dirigiu-se até a entrada da casa onde se deparou com quatro policiais militares, os soldados, Bispo, Francinilson, Paulo César e Carlos Bento, que tentavam imobilizar seu irmão caçula, Gustavo que aparentava embriaguez alcoólica. Seu pai, também na garagem, que dá acesso a casa. Ao ver o policial Carlos Bento com uma arma em punho, descrita pela família como uma metralhadora, pediu que o mesmo tivesse calma, baixasse a arma que tudo seria resolvido na tranquilidade, sem agressão. Como resposta, Rafael Marreiros foi violentamente imobilizado pelo dito policial, Carlos Bento, com tamanha estupidez, que o mesmo chegou a cair no chão, tendo antes levado um pisão de coturno no pé esquerdo, deixando um leve ferimento”, descreve Wilson Coutinho.

Professor Rafael Marreiros - Foto: Saiba Mais
Professor Rafael Marreiros – Foto: Saiba Mais

A nutricionista teria agido quando viu seu pai sendo agredido pelo militar. “Carla Marreiros se dirigiu ao policial pedindo que o mesmo parasse com aquilo. Foi quando, numa atitude abrupta, a mesma teve seu corpo jogado ao chão e arrastado por quase dois metros pelo soldado, Carlos Bento”, afirma o marido de Carla, enfatizando que sua mulher espera um filho seu.

Carla ficou com a perna ferida e foi até o hospital Florisa Silva para fazer um laudo médico que apresentou “escoriação leve em joelho direito, acrescendo dores em região lombar e pé direito”. O plantonista também realizou exame obstétrico para saber a reação do bebê, que não teria sofrido qualquer reação.

Ao sair do hospital a nutricionista prestou queixa à Delegacia de Jaicós sobre as agressões sofridas.

Laudo Médico
Laudo Médico

Logo após este episódio, os policiais conduziram presos e algemados, o enfermeiro Gustavo e um amigo que lhe fazia companhia para a delegacia.

A família está revoltada com a ação dos policiais e alegam que em nenhum momento quiseram impedir os policiais de levarem o enfermeiro, já que reconheceram que ele estava embriagado. “Em nenhum momento, nem eu, nem minha esposa e nem Carla, tentamos impedir que eles (policiais), levassem meu filho. Reconhecemos que ele realmente estava embriagado. O que pedimos foi calma, sem violência e que os mesmos baixassem as armas, pois não havia necessidade do uso de armas dentro da nossa casa”, disse o professor Rafael ao portal Saiba Mais.

Ele denunciou ainda que os dois policiais mais agressivos foram: Carlos Bento e Paulo César “estavam inflamados, alterados, gritando e agiram com violência”, destacou o professor Rafael.

O médico Wilson Coutinho disse que o “abuso de autoridade” deverá ser punido pela Corregedoria. “É o cúmulo do absurdo. E se tiver justiça no Piauí, quero que o comandante da Polícia Militar no Estado, através da Corregedoria apure e puna os responsáveis pela transgressão”, indigna-se.

Polícia Militar

O Cidadeverde.com entrou em contato com a 3ª Companhia da PM em Jaicós, o soldado de plantou afirmou que os militares que participaram da ação saíram de serviço na manhã deste domingo(13) e somente o comandante Capitão Felix poderia falar sobre o assunto, porém ele não respondeu aos nossos telefonemas.

Fonte: Cidade Verde

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade