DestaquesEducaçãoGeralTodas as Notícias

Oficina capacita educadores no combate ao trabalho infantil

Educadores de Picos e região estiveram hoje (24), no auditório da Associação Comercial, participando de uma oficina de formação no combate ao trabalho infantil.

A capacitação, que segue até amanhã (25), é promovida pelo Ministério Público do Trabalho, através do projeto MPT na Escola.

Capacitação de professores  no combate ao trabalho infantil-Foto: Romário Mendes
Capacitação de professores no combate ao trabalho infantil-Foto: Romário Mendes

A ideia é que os educadores capacitados abordem em sala de aula os temas referentes à exploração do trabalho da criança e do adolescente, promovendo seminários, palestras e envolvendo a comunidade escolar e a sociedade em geral.

De acordo com a procuradora do Trabalho no município de Picos e coordenadora regional da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Cordinfância), Pollyanna Tôrres, foram apresentados vídeos e realizados trabalhos dinâmicos com os professores para que eles reproduzam esse trabalho na sala de aula.

Professores e coordenadores participando  da capacitação-Foto: Romário Mendes
Professores e coordenadores participando da capacitação-Foto: Romário Mendes

Durante a capacitação foi realizada uma palestra com o procurador do Trabalho do Ceará, Antonio de Oliveira Lima, coordenador nacional do projeto, que fez uma explanação inicial sobre o panorama do trabalho infantil no Brasil.

Antonio de Oliveira Lima informou que foram apresentados vídeos e apresentação visual com aspecto histórico, aspectos socioeconômicos e aspectos culturais do trabalho infantil, destacando a profissionalização do adolescente.

Professores e coordenadores participando  da capacitação-Foto: Romário Mendes
Professores e coordenadores participando da capacitação-Foto: Romário Mendes

O PROJETO

As ações do programa MPT na Escola tiveram início em 2010 com o objetivo de expandir, para todo Brasil, as estratégias de combate ao trabalho infantil adotadas dois anos antes pelo Ceará. Entre 2008 e 2014, o estado nordestino conseguiu reduzir pela metade os casos de exploração, graças ao Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca). Por meio da iniciativa, as discussões sobre o tema são levadas às salas de aula do ensino fundamental em mais de 1.500 escolas, o que representa um universo de 317 mil estudantes.

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também