ad16
AutoPECASonline24.pt
ColunasCrônicas da EuropaGeral

Os 10 anos do curso de Comunicação Social da UESPI de Picos

Em março de 2002 um sonho de quase 20 anos começava a ser real para aproximadamente 40 comunicadores do Sertão do Piauí. Iniciava ali a primeira turma do curso de Comunicação Social – habilitação em Jornalismo e Relações Públicas – da UESPI – Universidade Estadual do Piauí.

A criação do curso em si foi uma luta de comunicadores da região que queriam uma qualificação na área. Muitos eram formados em áreas afins, principalmente em Letras, mas era premente a formação em Jornalismo.

O então reitor da universidade na época, professor Jonathas Nunes foi emparedado e após muita luta política terminou autorizando o primeiro curso de Jornalismo do interior do Piauí (até hoje só tem ele e mais outro – o da Faculdade R.Sá – também em Picos) e do Sertão Nordestino.

Me lembro muito bem quanto encontrei aquela turma em 2003 (um ano depois deles terem entrado na universidade). Naquela época o professor Evandro Alberto já era coordenador do curso. Me chamou mais que atenção quando em agosto de 2003, com as dificuldades da época (muito maiores que hoje) os alunos e professores do curso de Jornalismo da UESPI de Picos trouxeram à cidade o jornalista Roberto Cabrini.

Até hoje esse é o maior evento comunicacional já ocorrido na cidade. Em 2004 o curso ganhou seus dois primeiros professores efetivos: este que vos escreve e a professora Sonia Mariah Carvalho (que é picoense da gema). Antes de entrarmos como efetivos éramos professores substitutos desde o início do segundo semestre de 2003.

Em 2005 fizemos novo concurso para efetivo (dessa vez para o campus de Teresina) e deixamos Picos no sentido de aulas, mas continuamos com pesquisa. No mesmo 2005 o curso ganhou duas novas professoras efetivas: Samara Jericó e Jaqueline Cardoso, por sinal a primeira mestra em Comunicação dos professores da UESPI de Picos e uma das maiores figuras da fase moderna do curso.

Em 2010 o curso tem outro marco acadêmico: a aprovação de seu primeiro aluno graduado para um mestrado em Comunicação. O jornalista Fábio Gonçalves Ferreira (na minha opinião um dos grandes lutadores para que o curso fosse iniciado) foi aprovado na Universidade Metodista de São Paulo, onde é orientado nada mais nada menos que o Papa da Comunicação no Brasil: José Marques de Melo.

No início de 2012 a UESPI, coincidindo com o início do seu aniversário de 10 anos, ganha mais dois professores efetivos: Evandro Alberto volta, agora como mestre, (como os amigos costumam brincar: “agora pra ficar” de vez) e também com a mestra em Comunicação Social, também pela UMESP e orientada pelo professor José Marques de Melo Daiane Campelo.

Com três professores efetivos (na iminência de serem chamados mais duas) o curso vai para sua terceira fase: a da sedimentação da pesquisa científica. Há um grupo forte e a construção de um segundo grupo.

O curso faz dez anos. É notório que a UESPI de Picos está passando por sérios problemas, principalmente de estrutura física. Muitas vezes os alunos sequer têm lugar para estudar. As constantes mudanças de prédio praticamente inviabilizam as atividades laboratoriais, mas, os alunos estão lá, agindo e, entremeio a tanta crise, tentando fazer acontecer.

A pesquisa científica é feita de forma heróica, mas os resultados estão aí. Em recente conversa com a professora Graciele Barroso (que é oriunda do curso e do campus) este ano alunos e professores da UESPI de Picos apresentarão quase dez trabalhos científicos no Intercom Nacional.

Nos últimos 15 meses o grupo de pesquisa do campus já produziu e socializou mais de dez trabalhos. Imagina só se eles tivessem estrutura. Imagina só se eles fossem surpreendidos positivamente com um presente de dez anos! Fica a sugestão para o nosso governador!

Outra grande ação é no campo da extensão onde este semana ocorrerá o Encontro de Comunicação da UESPI. O evento tem a frente alunos e professores, dentre eles a múltipla Amanda Campos (que pela segunda vez é professora do campus; ela também é formada pela UESPI). O evento contrará com muitas palestras e cursos. Uma delas é do professor Jailson Dias de Oliveira (também formado pela UESPI de Picos).

Anualmente o curso promove vários eventos de socialização de conhecimento com a sociedade.

Por falar em professores: outros tantos como Ruthy Costa, Simoni Portela deixaram seus nomes para sempre no sentido de competência e dedicação.

Há quase outra trezena de nomes de professores (minha memória tem me traído) e outra centena de bons alunos que passaram por ali que hoje dão sua contribuição social Brasil afora. Cito dois casos entre as dúzias que temos: o de Deisy Fernanda (que terminou seus estudos na UFPB, mas passou 70% do curso em Picos) e hoje é doutoranda em Comunicação na USP e de Renan Nunes – hoje repórter de sucesso da TV Clube, Globo do Piauí – com dezenas de matérias nacionais.

Me orgulho muito de ter passado alguns meses com vocês, de ter enchido o saco de vocês e de ter tentado ajudar colocar alguns grãos de areia na construção do que costumo chamar: revolução silenciosa da Comunicação no Sertão do Piauí.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade