ad16
Geral

PF investiga desvio de R$ 10 milhões na saúde

Wilson Martins
Foto: Reprodução

A Polícia Federal abriu inquérito policial para apurar a formação de quadrilha e o desvio de cerca de R$ 10 milhões na Secretaria Estadual da Saúde, num período de cinco anos, de 2008 a 2012. Segundo procedimento em tramitação no Ministério Público Federal, em caráter sigiloso, pelo menos seis empresas estão supostamente prestando serviço e fazendo procedimentos para hospitais regionais no interior indevidamente.

A Polícia Federal acionou a Controladoria Geral do Estado (CGE) para abrir uma auditoria apurando os procedimentos e serviços realizados por estas empresas no período apontado. Há suspeitas de funcionários da Saúde envolvidos, o que incorreria na formação de quadrilha e desvio de dinheiro público.

A investigação começou com  a própria Polícia Federal, mas passou a envolver a CGE e o MPF. Pela investigação, tem casos em que os responsáveis pela administração do hospital regional teriam contratado empresas de pessoas ligadas a ele, e essas empresas estariam recebendo pagamentos sem ter realizado nenhum procedimento, serviço ou alugado equipamento. “Existe uma quadrilha atuando com cinco ou seis empresas, mas com a conivência de servidores da Saúde e do hospital. A Polícia Federal abriu inquérito e está apurando isso”, comentou um auditor, que pediu reserva do nome.
A Polícia Federal vai iniciar a fase dos depoimentos dos funcionários que supostamente estariam implicados no esquema de desvio de dinheiro público. O caso pode resultar em cadeia para os envolvidos.

O governador Wilson Martins foi informado do problema e determinou que toda a apuração seja feita, para identificar os nomes dos possíveis envolvidos no esquema. Há casos em que não existe nenhum serviço apresentado pela empresa, mesmo assim, ela está recebendo os valores referentes ao contrato feito anteriormente com o hospital.
Não é a primeira vez que procedimentos administrativos e pagamentos supostamente irregulares são investigados na Saúde do Piauí. Auditorias do Denasus (Departamento Nacional de Auditorias no Sistema Único de Saúde) realizadas em todo o Estado apontaram irregularidades na aplicação de aproximadamente R$ 50 milhões na saúde do Estado nos últimos dez anos. Os processos e inquéritos estão em execução na Polícia Federal, Ministério Público Federal e Controladoria Geral do Estado.

Fonte: diariodopovo-pi.com.br

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade