ad16
Geral

Picos tem quantidade considerável em solicitações de próteses ao Ceir

Vítima de acidente de moto
Vítima de acidente envolvendo motocicletas são comuns – Foto: Gean Carvalho

A Cidade de Picos é um dos municípios do interior que mais solicitam próteses ao Centro Integrado de Reabilitação (CEIR), em Teresina. A maioria vítimas de acidente de motos. Segundo o superintendente, Anderson Luz, o perfil da maioria das pessoas que solicitam prótese ao Ceir são adultas entre 18 a 25 anos.

Segundo ele, as vítimas de acidente de moto são naturais de cidades do interior do estado. “A cidade de Picos, no Sul do Piauí, tem uma quantidade substancial de solicitações, sendo a maioria vítimas de acidentes de motos e que não utilizavam equipamentos de proteção”, informa.

Os acidentes envolvendo motos deixam sequelas graves para os condutores. No Ceir, a procura de próteses para as vítimas já é maior do que para pacientes que amputam partes do corpo por causa do diabetes. Na maioria dos casos, se os condutores de motocicleta usassem os equipamentos de segurança de forma correta poderiam diminuir o risco para saúde.

De acordo com o superintendente, nos últimos três anos houve uma mudança no perfil dos usuários de próteses. “Antes a demanda era maior para pessoas com diabetes, que em virtude da doença eram obrigados a amputar algum membro, mas hoje a maioria é fabricada para vítimas de acidentes com motocicletas”, revela Anderson.

O Hospital de Urgência de Teresina (HUT) é o local que recebe boa parte dos pacientes do Ceir e, segundo assessoria do hospital, de janeiro a 15 de julho de 2013 foram atendidos 6.913 vítimas de acidentes com motocicletas, sendo que 80% sofreram traumatismo porque não usavam capacete.

Para o instrutor de trânsito Francisco Sandro, existem equipamentos que são obrigatórios a todo condutor. “O capacete modular com selo do Inmetro e com viseira é obrigatório, além de roupa adequada e calçados que protejam o motociclista”, destaca o instrutor.

A falta do equipamento de segurança aos motoqueiros é o principal motivo para os graves acidentes.

Com informações do G1 PI

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade