ad16
CidadeDestaquesPolícia

Polícia Civil investiga morte de trabalhadores

Delegado Éverton Ferrer

Romildo Santos Rocha, 18 anos, e Manoel Antônio de Moura Silva, 30 anos, puxavam um vergalhão de ferro que se encostou a um fio de alta tensão, próximo ao segundo andar do prédio onde trabalhavam, na Avenida Deputado Sá Urtiga, na esquina da Rua São João, bairro São José, próximo ao templo central da Assembléia de Deus. O contato com o fio provocou um choque elétrico de 13,8KV.

Romildo Santos teve morte instantânea. Manoel Silva ainda foi socorrido pelo Samu, mas faleceu ao chegar ao Hospital Regional Justino Luz (HRJL).

“O caso foi repassado para a delegacia de homicídios, embora se trate de um acidente de trabalho. Isso vai ser apurado com a devida cautela e contactado o Ministério Público do Trabalho para acompanhar o caso e também o Ministério Público Federal, se entender que o crime é da esfera trabalhista”, afirmou o delegado regional Éverton Ferrer.

O caso foi repassado ao delegado Adolpho Henrique, que deverá ouvir preliminarmente algumas pessoas e verificar se os dois auxiliares estavam aptos a realizarem aquele tipo de trabalho e em quais circunstâncias o acidente ocorreu. “Teremos um prazo de trinta dias, a contar da data de ontem, para que seja apresentada uma solução e apuradas as devidas responsabilidades”, pontuou Éverton.

A investigação cabe momentaneamente à Polícia Civil. O delegado também ressaltou que não há nenhuma afirmação no sentido de que haja responsabilidade das empresas responsáveis pela obra, mas que todos os fatos serão apurados.

A família das vítimas registrou Boletim de Ocorrência (B.O) e foram realizados exames cadavéricos nas vítimas. Todas as informações foram repassadas ao delegado Adolpho Henrique, que deverá ouvir as pessoas envolvidas no caso nos próximos dias.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade