ad16
AcauãDestaquesPolíciaTodas as Notícias

Polícia pede revogação da prisão de jovem suspeito de matar a própria na região de Picos

Segundo a polícia, o homem confessou o crime, mas que seu estado mental afeta a credibilidade do depoimento. Delegado do caso não recebeu o laudo que comprova a causa da morte.

A Polícia Civil pediu a revogação da prisão do filho suspeito de matar a mãe Amaralina Ramos Coelho no município de Acauã, no Sul do Piauí. O delegado Cícero de Oliveira informou ao G1 que o homem confessou o crime, mas que seu estado mental afeta a credibilidade do depoimento.

“Ele faz tratamento psiquiátrico no CAPS da cidade de Paulistana desde 2017. Por isso, não foi dado cumprimento de mandado de prisão temporária dele. Também não há razão para mantê-lo preso, pois em nada vai ajudar nas investigações e não há risco de fuga do distrito da culpa”, explicou o delegado.

Amaralina Ramos Coelho desapareceu há uma semana em Acuã — Foto: Divulgação/PM
Amaralina Ramos Coelho desapareceu há uma semana em Acuã — Foto: Divulgação/PM

Quando entrou com o pedido da prisão preventiva, o delegado afirmou que não tinha conhecimento do estado mental do suspeito. “Por isso pedi a prisão e ela foi decretada pela Justiça, no entanto, após me inteirar do quadro clínico dele, eu mesmo pedi a revogação da prisão”, explicou Cícero de Oliveira.

Segundo o delegado, o tratamento do filho da vítima é feito à base de medicação controlada e acompanhamento constante por profissionais de saúde. “Meu pedido de revogação ainda não foi julgado, mas será analisado pela Justiça em breve e creio que a prisão será revogada”, disse Cícero de Oliveira.

Antes de ser encontrado, o corpo de Amaralina Ramos Coelho ficou 12 dias desaparecido até ser visto boiando em um barreiro. Conforme a polícia, como estava submerso na água e em estado de putrefação não foi possível identificar sinais de violência.

Por conta disso, o corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal de Teresina para realização de uma perícia que possa identificar a causa da morte, mas o delegado ainda não recebeu o laudo desse exame.

Amaralina morava com o filho no povoado Bom Nome, zona rural de Acauã, e foi vista pela última vez no dia 6 de maio, subindo na garupa de uma moto pilotada pelo filho. Familiares procuraram a delegacia para registrar o desaparecimento dela três dias depois.

Ao conversar com a polícia, o filho teria dito aos policiais que matou e enterrou a mãe em um matagal próximo a casa, mas o corpo não foi encontrado no local descrito por ele. O suspeito teria dito ainda que assassinou a mãe com uma paulada na cabeça após uma discussão, mas ele não revela o motivo da briga.

do G1 Piauí

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Publicidade