ad16
DestaquesGeralPolícia

Polícia prende acusado de praticar roubos em Picos

Por volta de 12h desta sexta-feira (26) uma operação conjunta entre a polícia civil e homens da Força Tática, do 4º Batalhão da Polícia Militar – 4º BPM, prendeu Bruno de Araújo Santos, mais conhecido como “Bruno de Santinho”, de 18 anos, acusado de praticar diversos roubos na cidade Picos.

“Já tinha sido expedido um mandado de prisão contra esse elemento e hoje pela manhã em conjunto com a polícia civil já tínhamos ido cumprir esse mandado, mas o elemento não foi encontrado nos endereços mencionados”, acrescentou Capitão Mário Oliveira.

Bruno foi preso quando tentava fugir de Picos. (Foto: Canabrava News)
Bruno foi preso quando tentava fugir de Picos – Foto: Canabrava News

Ainda de acordo com o Capitão Mário, Bruno foi preso em uma van intermunicipal de transporte alternativo de passageiros quando tentava fugir para outro município.

“Por volta do meio dia recebemos uma informação de que ele estaria tentando fugir da cidade de Picos numa van. Com base nessas informações uma equipe da Força Tática, comandada pelo Cabo Rocha, com muito discernimento observou que um veículo ia em direção a Dom Expedito Lopes. O veículo foi abordado e nele estava o Bruno tentando fugir realmente da cidade de Picos”, disse o Capitão Mário.

Durante a abordagem os policiais encontraram uma pistola com “Bruno de Santinho”. A arma calibre Ponto 40 é de uso exclusivo das polícias.

“É a arma que ele andava fazendo os roubos aqui na cidade de Picos e ele vai ser autuado também por porte ilegal de arma de fogo. Com essa prisão a cidade de Picos vai ficar um bom tempo livre desse elemento que andava aterrorizando a cidade de Picos com inúmeros roubos. Ele é um elemento que também já tem passagem por homicídio”, finalizou.

O capitão Mário acrescentou ainda que, a princípio, não há nenhum envolvimento de Bruno no homicídio de Lázaro, cometido na madrugada desta sexta-feira (26), por volta das 02h25, na rua Nova Descoberta, centro de Picos.

“Ele é comparsa do que morreu. Eles atuavam juntos, no mesmo trecho no morro da Aerolândia e na Rua Nova. Eram cúmplices de cometerem os crimes. Então era mais um dos que cometiam crimes. Mas ele, a princípio do que sabemos, não tem nenhum envolvimento com a morte do Lázaro”, declarou.

Canabrava News

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade