ad16
DestaquesFronteirasMunicípiosPolícia

População de Fronteiras teme uma nova onda de pistolagem

[ad#336×280] O prefeito Eudes Agripino Ribeiro, da cidade de Fronteiras, prometeu perante uma multidão que vai pedir ajudar à Secretaria de Segurança Pública do Estado para coibir a violência que se alastra naquele município que faz divisa com o Ceará. O município é contantemente palco de crimes de pistolagem e as declarações do prefeito foram feitas no velório de um trabalhador, a última vítima deste tipo de crime que aconteceu no final da semana passada. .

As declarações do prefeito foram em local marcado pelo clima de comoção e revolta marcado momentos antes do enterro do industrial Erivaldo Gomes. Evangelico, Gomes morreu baleado em pleno centro de Fronteiras no momento em que desceu de um ônibus que o trazia na industria onde trabalhava.

Segundo o fronteirasblogspot, Erivaldo foi descrito por um de seus colegas de trabalho como um cidadão pacato e trabalhador. O corpo foi velado em uma igreja evangélica onde houve um culto e neste momento o prefeito Eudes Agripino Ribeiro fez uso da palavra.

Velório de Erivaldo Gomes - Foto: Fronteirasonline
Velório de Erivaldo Gomes – Foto: Fronteirasonline

Uma multidão acompanhou o cortejo fúnebre até o cemitério de Fronteiras. Uma homenagem também foi realizada no início da partida do Campeonato Interregional. Jogadores entraram em campo com um cartaz que pedia PAZ, se colocaram em círculo no centro do campo e fizeram minuto de silêncio em memória de Erivaldo que também era desportista.

Já nesta semana, ainda preocupado com os últimos acontecimentos ocorridos na cidade de Fronteiras, o prefeito Eudes, mandou licitar o Projeto de monitoramento da vias públicas do município.

O projeto prevê a instalação de um sistema de segurança com aproximadamente 20 câmeras, que serão distribuídas nas principais avenidas e travessas do município. As câmeras que tem capacidade de visualizar a uma distância de até 05 quilômetros serão monitoradas pelo efetivo da 4ª CIA de Polícia.

Os estudantes de medicina Márcio e Marcelo Ayres
Os estudantes de medicina Márcio e Marcelo Ayres

QUADRILHA
O temor na cidade é de que Fronteiras volte à década passada quando foi dominada por pistoleiros. Diversos assassinatos com características de pistolagem foram registrados na região. Além de Fronteiras, Pio IX, outro município da divisa com o Ceará registrou crimes destas natureza que repercutiram em Teresina e até no Rio de Janeiro.

A situação já estava sem controle ao ponto dos assassinatos estarem migrando para outros locais. Em Teresina e no Rio de Janeiro três assassinatos foram praticados por pistoleiros ainda por conta das rixas nascidas na região de Fronteiras.

Na Capital um servidor da Secretaria da Fazenda foi morto na porta de uma escola na zona Sul quando acabara de deixar os filhos. Dois homens em uma moto fôramos responsáveis pelo crime. No Rio de Janeiro as vítimas foram dois filhos do então prefeito de Fronteiras na época. Os rapazes foram mortos quando chegavam em uma faculdade da Baixada Fluminense.

Na época a Polícia agiu com rigor e prendeu dois homens como acusados de comandar quadrilhas de pistolagem. Francisco Otacílio de Sousa, o “Chicó”, morava em Pio IX, e Roldão Pereira Bezerra, em Fronteiras.

Com informações do Diário do Povo

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade