ad16
CidadeDestaquesPolítica

Prefeito de Picos nega acordo com sindicalistas e desautoriza secretários

[ad#336×280]O prefeito de Picos, Kléber Eulálio (PMDB), desmentiu matéria veiculada em um sítio de notícias da capital sobre acordo firmado na última quinta-feira última 17, entre o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Picos (Sindserm) e o secretário da Educação e vice-prefeito, Padre José Walmir de Lima (PT) em  relação ao pagamento da segunda parcela do 13º salário dos servidores da Educação e a divisão em quatro parcelas referentes ao salário de dezembro que começaria a ser quitado em março e terminaria em junho.

Kleber Eulálio mostra extrato do FPM
Prefeito Kleber Eulálio mostra extrato de 1ª parcela do FPM zerado

Irritado com o fato, o prefeito Kléber Eulálio desmentiu nesta  quarta-feira que tivesse feito acordo e desautorizou o seu vice-prefeito e secretário de Educação, Padre Walmir Lima (PT) a fazê-lo.  O administrador municipal destacou que nenhum secretário municipal está autorizado a fazer negociações com sindicalistas, nem conceder aumentos. O ponto em questão são os salários atrasados de dezembro e décimo terceiro deixados pela administração anterior.

Nesta quarta-feira membros do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Picos procuraram a imprensa para destacar como o prefeito Kléber Eulálio havia  procedido desautorizando a negociação feita esta semana com o Padre Walmir, interlocutor entre o poder público municipal e os representantes dos servidores.

O prefeito foi enfático em afirmar que não tem receita e citou que já foram retidas duas parcelas do FPM e vai haver uma terceira retenção e que, portanto,  tudo era uma questão matemática onde a receita não comportava a despesa e reafirmou não ter feito acordo nenhum e que a prefeitura não teria verbas para esses pagamentos cobrados. Ele ainda lembrou que mesmo com esse suposto acordo só pagaria esses valores deixados pela gestão anterior depois que quitasse os de sua gestão.

“Devo e não nego, pago quando puder. Quero comunicar aos professores que esta é a realidade e esses salários atrasados só serão pagas quando eu tiver segurança absoluta da minha receita sem comprometer o exercício atual da gestão ai eu vou chamá-los”, enfatizou o prefeito.

Kléber Eulálio disse que não estava descumprindo nenhum acordo e que estava sendo muito sincero e afirmou que quem deve aos professores e ao pessoal da saúde  não é ele e nem o ex-prefeito, é a prefeitura e ele terá que pagar, mas no momento em que o pagamento do exercício anterior não comprometa o atual, pois  Os repasses estão inviabilizados por problemas de débitos com o INSS.

Padre Walmir Lima
Padre Walmir Lima: vice-prefeito e secretário de educação

“Não fiz, nem autorizei nenhum acordo. Aproveito para deixar bem claro que nenhum secretário está autorizado a fazer nenhum acordo envolvendo aumento salarial ou pagamento de salários atrasados sem a minha autorização. Não estou descumprindo nenhum acordo, porque não fiz, nem autorizei nenhum. Estou sendo sincero”, frisou o prefeito de Picos.

Coincidência ou não o vice-prefeito, após essa crise institucional, viajou para lugar não informado por sua assessoria e até o momento não comentou sobre a desautorização. O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Picos convoca a categoria para reunião nesta quinta. A possibilidade de greve não está descartada. Com informações do Jornal da 95

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também