ad16
DestaquesTodas as Notícias

Prefeito Gil sanciona lei que cria cadastro de cães do Centro de Zoonoses para adoção

A partir de agora, o Centro de Zoonoses, que já abriga temporariamente os animais de rua castrados para passarem o período de recuperação do pós-operatório, deverá também realizar cadastro com dados e fotos do animal

Depois de Picos ser pioneiro no interior do Piauí, com uma ação para castrar, gratuitamente, animais de rua, cães e cadelas, através da Secretaria Municipal de Saúde, com apreensão desses animais pelo Centro de Zoonoses e apoio da APAPI – Amigos Protetores dos Animais de Picos, o município dá outro passo na proteção animal.

O Prefeito Gil Marques de Medeiros sancionou, na manhã de segunda-feira, 20, a Lei Municipal nº 3114/2021, que dispõe que o Centro de Zoonoses deverá manter cadastro atualizado dos animais para fins de realização de feira de adoção dos mesmos.

“Estamos avançando nos cuidados humanizados e eficientes para dar mais dignidade, saúde e uma família de tutores responsáveis para animais  abandonados em nossa cidade. O apoio da APAPI é importante no pós-operatório desses animais e nos cuidados necessários para que eles, ou sejam adotados, ou retornem para os lugares de origem, onde são cuidados como cães comunitários, mas castrados e barrando assim a procriação desenfreada que geraria mais abandono” explicou Aldo Gil, secretário de Saúde de Picos.

Já o prefeito Gil afirmou que é importante cuidar dos animais para termos mais saúde para todos:

“A gente cuidando dos animais abandonados também está cuidando da saúde das pessoas, porque estamos fazendo o possível pra diminuir a quantidade de animais soltos nas ruas, o que vai evitar acidentes e doenças, de uma forma sem sofrimento e com a maior atenção possível, castrando e dando oportunidade de alguém adotar os bichinhos”, disse o prefeito.

Para o procurador Geral do Município, advogado Antônio José de Carvalho Júnior, a sanção é importante para escrever uma nova página para a causa animal na cidade de Picos, que tem servido de exemplo para outros municípios:

“É um exemplo a ser seguido. Primeiro houve a designação legal de tratamento humanitário, proibindo o extermínio indiscriminado no Centro de Zoonoses, depois a lei de castração gratuita e, agora, estamos dando um passo a mais, permitindo que o Centro de Zoonoses faça um cadastro detalhado dos animais apreendidos para que possam ser adotados” explicou o Procurador.

A partir de agora, o Centro de Zoonoses, que já abriga temporariamente os animais de rua castrados para passarem o período de recuperação do pós-operatório, deverá também realizar cadastro com dados e fotos do animal para que as pessoas possam acessar e decidir pela adoção de forma mais rápida e prática.

CCOM-PMP

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade