ad16
DestaquesEconomiaPolítica

Pressão contra redutor faz Wilson estudar aumento

Governador Wilson Martins (PSB-PI)

Por conta das pressões de algumas categorias de servidores públicos estaduais, o governador do Piauí, Wilson Martins (PSB), estuda voltar atrás da decisão que implanta um redutor salarial no limite máximo de R$ 12 mil no Estado. A informação foi confirmada nesta quinta-feira, dia 4, pelo secretário de Governo, Wilson Brandão. Pelos cálculos preliminares, o salário do chefe do executivo estadual passará dos atuais R$ 12 mil para R$ 16 mil.

No mês de junho, o governador do Estado, Wilson Martins (PSB) anunciou que o redutor salarial. Na prática, nenhum servidor ganharia mais que o gestor. Porém, categorias como dos delegados e fazendários se posicionaram contra o redutor, já que a medida atinge diretamente seus vencimentos que podem chegar a R$ 16 mil. A medida alcança quase 500 servidores e proporciona ao Estado uma economia mensal que chega perto de R$ 1 milhão.

Algumas ações judiciais já foram ingressadas na Justiça pelas categorias para barrar o redutor, o que tem levado o Governo a reaver a medida. “O governo está estudando a possibilidade de aumento para que possa resolver o problema dessas categorias. O salário será aumentado. Tem que ter uma iniciativa da Assembleia para tal. Tivemos uma conversa com os técnicos da Educação e da Fazenda e estamos estudando as reivindicações.

O Governo não quer fazer algo para não cumprir, principalmente em se tratando de salário. Temos que ponderar”, explicou o secretário de Governo, Wilson Brandão. Esta semana, os delegados da polícia civil realizaram assembléia e ameaçam greve por tempo indeterminado.

De acordo com informações da categoria, a redução nos salários chegou a R$ 2 mil no contracheque de alguns servidores. Há na Secretaria de Segurança três categorias de delegados. O 3ª classe, o 2ª classe e o Especial, também chamado de 1ª classe. Esses, ganham salários que variam de R$ 15 a R$ 18 mil reais. Isto é, acima do salário atual do governador Wilson Martins.

A polêmica em torno da aplicação do redutor não é novidade no Estado. O primeiro redutor salarial do Estado, semelhante ao que está sendo aplicado por Wilson Martins, foi instituído pelo governador Francisco de Assis de Moraes Souza, o Mão Santa, em 1995, após assumir o primeiro mandato no Palácio de Karnak. Na época, Mão Santa baixou decreto cortando a produtividade dos auditores fiscais, auxiliares e técnicos fazendários como forma de limitar os salários da categoria ao que o governador recebia. Contudo, mesmo que o Governo recue com a medida, é preciso que haja iniciativa da Assembleia Legislativa para o aumento do salário de Wilson Martins.

Fonte: Jornal O DIA

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade