ad16
AutoPECASonline24.pt
EducaçãoGeralTodas as Notícias

Professor de Agronomia da UESPI de Picos defende Tese de Doutorado

[ad#336×280]O Professor Dr. Renato Santos Rocha, 33 anos, natural da cidade de Cristino Castro, formado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal do Piauí- UFPI, Campus de Teresina, defendeu recentemente sua Tese de Doutorado em Agronomia, intitulada “Aspectos nutricionais da cana-de-açúcar com silício e sua resistência a cupins no município de Aldeias Altas, Maranhão”.

 O trabalho desenvolvido pelo recém Doutor teve como objetivo avaliar o desenvolvimento fisiológico e agronômico da cana-de-açúcar, através da adubação com o silício (é um pó obtido da trituração de uma rocha chamada wollastonita, o resultado é um composto chamado silicato de cálcio e magnésio), e também, averiguar a resistência dos propágulos de cana enriquecidos com silício ao ataque de cupins.

Professor Renato na defesa da Tese de Doutorado - Foto: Arquivo Pessoal
Professor Renato na defesa da Tese de Doutorado – Foto: Arquivo Pessoal

O professor foi o primeiro Mestre e Doutor de título da sua cidade natal, Cristino Castro, formou-se em 2005, e concluiu o Mestrado em Agronomia em 2008. O docente foi consultor da FIEP, trabalhando no Projeto PROCOMPI, foi professor na UFPI e UESPI em cidades como Bom Jesus, União, Uruçuí e atualmente é professor efetivo da Universidade Estadual do Piauí-Campus de Picos, onde foi convocado em setembro de 2013.

De acordo com o docente, a escolha do tema foi devido ao grande ataque de cupins à cultura da cana-de-açúcar, podendo causar prejuízos de até 10 toneladas por hectares e o grande uso de inseticidas, causando grandes prejuízos para o solo “pois diminui a presença de insetos, inimigos naturais das outras  pragas, além de contaminar  os lençóis freáticos, então a intenção final deste trabalho era reduzir a  aplicação de elevadas doses de inseticidas ao solo, além disso reduzir os custos no plantio para o produtor ” afirmou ele.

A tese tem os fins de pesquisa, para geração de tecnologia, pois o Brasil é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar e dos seus produtos, além disso, está à frente no desenvolvimento de tecnologia voltada para cultura, “então, este trabalho vem a somar com outras pesquisas já realizadas para manter a hegemonia brasileira na produção de cana, a qual é plantada no país desde o período do colonial, onde era trabalhada principalmente pela mão de obra escrava”.

Segundo o Professor Renato, o trabalho em si, é apenas uma etapa, pois são necessários mais pesquisas com o mesmo propósito para tal manejo passar a ser utilizado pelos produtores, mas somando a outros trabalhos pode estar resolvendo um pouco dos problemas com esta praga aumentando a produtividade da cultura da cana-de açúcar.

Considerações da banca analisadora - Foto: Arquivo Pessoal
Considerações da banca analisadora – Foto: Arquivo Pessoal
Considerações da banca analisadora - Foto: Arquivo Pessoal
Considerações da banca analisadora – Foto: Arquivo Pessoal

A defesa da Tese ocorreu no dia 25 de fevereiro de 2014 e teve como banca examinadora os professores Dr. Jacinto de Luna Batista-UFPB (Orientador); Drª. Luciana Cordeiro do Nascimento-UFPB; Dr. Flávio Pereira Oliveira- UFPB; Dr. Thiago Jardelino Dias-UFPB.

O trabalho de campo foi realizado nas áreas de produção de cana-de-açúcar de uma usina de produção etanol, Itapecuru Bioenergia, localizada na zona rural do município de Aldeias Altas-MA. Foram necessários 02 anos para concluir o trabalho de campo, desde a instalação ao fim da coleta de dados, mas o período de conclusão da tese foi de 04 anos.

Segundo Dr. Renato, a intenção é continuar trabalhando com esse nutriente, o silício, e com outras plantas cultivadas no semiárido piauiense, “como fui convocado para trabalhar em Picos, município que possui tal clima, e após reuniões com a equipe de professores da área de agronomia da UESPI, foi tomado como objetivo comum do grupo, à realização de pesquisas voltadas para gerar soluções para os produtores deste bioma, então, como esse elemento, aplicado a cana, reduziu as taxas de transpiração, promovendo um melhor aproveitamento da água e resistência a déficits hídricos sofrido pela cultura, a intenção é continuar realizando pesquisas com este nutriente”, ressaltou o docente. Ainda pretende envolver alunos do curso de Engenharia Agronômica da UESPI-Picos em seus projetos de pesquisa.

O recém-doutor menciona sua satisfação em ter concluído seu doutorado, o mais alto grau na carreira acadêmica, “o sentimento final é de uma missão cumprida com todas as glórias possíveis, pois durante o percurso foram muitos obstáculos ultrapassados, alguns tropeços e auto cobrança sobre o próprio desempenho, mas tudo superado devido uma incansável perseverança e a presença de Deus, familiares e amigos. Os meus pais (Raimundo e Nati), minha esposa (Larissa), irmãos (Cantídio, Joana D’arc, Rônei e Antonino) e sobrinho (João Victor) foram a fonte de inspiração para alcançar essa vitória”,  concluiu Renato Rocha.

O diretor do Campus de Picos, professor mestre Evandro Alberto disse que ganha não só profissional com a qualificação de doutorado, mas toda comunidade uespiana e a sociedade picoense. “ Parabéns ao professor Renato pela conquista e esperamos que ele continue no quadro da UESPI de Picos até a sua aposentadoria docente ensinando, fazendo extensão e pesquisando”, concluiu o diretor.

ASCOM Uespi

 

 

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade