ad16
Educação

Professores da rede estadual convocam assembleia para esta quinta-feira (10)

Reunidos por mais de quatro horas na Secretaria Estadual de Educação - Seduc - na tarde desta quinta-feira (3), representantes do Governo do Estado, sindicalistas e Ministério Público fizeram uma revisão na folha de pagamento e planilhas de custos do órgão para elaborar uma nova proposta de reajuste salarial para os professores. Os valores não foram definidos, mas o resultado dessa análise será apresentado ao governador Wilson Martins (PSB). A decisão final com o percentual de aumento, para o fim da greve que dura mais de dois emses, deve sair somente na segunda-feira. Participaram da reunião os secretários de Educação, Átila Lira, e Administração, Paulo Ivan da Silva Santos, além do crontrolador-geral do Estado, Antônio Filho, a promotora Leida Diniz e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí - Sinte-PI - e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE. Ao longo da tarde, foi avaliada a revisão no reajuste. Os dados devem ser revistos e estudados novamente durante o fim de semana para consolidação da proposta. Pela manhã, em encontro no Palácio de Karnak, o governador Wilson Martins (PSB) apresentou proposta para que todos os recursos federais extras que chegarem do Fundo de Educação Básica - Fundeb - sejam repassados diretamente para o reajuste dos professores. O mesmo grupo que participou da reunião da Seduc deve acompanhar a liberação dos recursos a cada mês. A categoria cobra aumento linear de 22% para todas as classes, mas o Estado alega estar no limite do cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. O impacto na folha seria de R$ 19 milhões. O governador Wilson Martins tem viagem programada para municípios do Norte do Estado nesta sexta-feira, começando por Barras. Ele aguarda a consolidação da nova proposta por parte da comissão de gestores e sindicalistas que, chegando a um acordo, terão o reajuste salarial confirmado. Da Redação redacao@cidadeverde.com
Greve dos professores da rede estadual de Picos Foto : Maria Moura

Professores da rede estadual em greve convocaram Assembleia Geral para esta quinta-feira (10). No entanto, o aviso no site do Sindicato dos Trabalhadores em Educação – Sinte-PI – não trata de discussão sobre suspensão do movimento, que dura mais de dois meses. Ao contrário do esperado por um grupo de deputados estaduais, a categoria pretende reforçar as ações.

Uma comissão de parlamentares se reuniu na última terça-feira em Brasília/DF com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que acertou o repasse de R$ 40 milhões para reformas e outras ações em escolas da rede estadual. Segundo o deputado João de Deus, a ideia é que recursos do governo do Estado destinados para tais serviços agora sejam voltados para o reajuste salarial de 22% linear cobrado pela categoria.

Kassyus Lages, secretário de comunicação do Sinte-PI, questionou se o Estado tem recursos próprios para tais reformas. Além disso, colocou em dúvida o anúncio da liberação de recursos do MEC sem que isso gere “ciumeira” em outras unidades federativas. Para ele, o anúncio é uma tentativa de enfraquecer o movimento, mas não dá garantias de que a proposta do sindicato será aceita, além de “mea culpa” dos que aprovaram em votação na Assembleia Legislativa o percentual de 8% de reajuste.

A assembleia está marcada para 9h no acampamento montado pelos professores ao lado do Palácio de Karnak, sede do governo. Ao invés de fim de greve, na pauta inclui novas estratégias para fortalecer o movimento e conseguir o pagamento do reajuste de uma vez – o governo ofereceu os 22% de forma parcelada até outubro.

Fábio Lima
[email protected]

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade