ad16
AutoPECASonline24.pt
DestaquesEducaçãoGeral

Professores grevistas não terão ponto cortado

Maria Onésia, gerente da 9ª GRE - Foto: Arquivo/RIACHAONET

Após 59 dias em greve, os professores da educação pública estadual de Picos encerram a paralisação e retornaram às salas de aula nesta quarta-feira (25). A volta é comemorada pelo governo estadual, pela 9ª Gerência Regional de Educação de Picos (9ª GRE) e também por pais de alunos.

Em entrevista ao Riachaonet, a gerente da 9ª GRE, Onésia Sousa, comentou o início do período letivo e os prejuízos deixados pelos dois meses em que as salas de aula permaneceram vazias.

Ela afirma não ter dúvidas em relação às perdas provocadas pelo adiamento do ano letivo, mas um novo calendário – a ser elaborado – garantirá que todo o conteúdo didático seja reposto. O maior problema, lembra a gerente, será a sobrecarga direcionada aos alunos. “Não terão férias em julho e os sábados e feriados também estão comprometidos”, explica.

Em relação aos estudantes do Ensino Médio que se preparam para prestar vestibular e para a prova do Exame Nacional do Ensino (Enem), aulas intensivas serão ofertadas a fim de garantir uma melhor preparação acadêmica.

Fim da greve e punições 

A 9ª GRE realizou um apelo na última semana através dos meios de comunicação pedindo a volta dos professores às salas de aula em razão da ilegalidade do movimento – parecer conferido no dia 16 de abril pelo Tribunal de Justiça do Estado do Piauí. Apesar do fim da greve só ser decretado pelo SINTE Regional de Picos nesta quarta-feira (25), os professores não terão o ponto cortado e, portanto, não sofrerão penalidades salariais como consequência da paralisação.

A Secretaria da Educação e Cultura do Piauí – SEDUC enviou às 9ª GRE um calendário que deverá ser reformulado e adaptado nos próximos dias. “Nossa intenção é que as aulas de 16 a 20 de abril também possam ser repostas, sem que haja corte de ponto”, pontua a gerente.

Manifestação dos professores de Picos

Nesta quarta-feira os professores de Picos realizaram uma manifestação pelas ruas centrais da cidade informando a população sobre o fim da greve e distribuindo uma nota de repúdio direcionada ao governo do Estado e aos deputados estaduais que aprovaram na Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (23), o projeto enviado pelo governador Wilson Martins que estabelece o piso salarial dos professores da rede estadual com reajuste de 22% apenas para professores que não possuem curso superior.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade