ad16
AutoPECASonline24.pt
DestaquesGeralTodas as Notícias

Qual a cara do seu bairro? Conheça o bairro da família LUZ!

[ad#336×280]“O bairro da família Luz”

A história do bairro Ipueiras está atrelada à chegada de uma família, a família Luz. Há mais ou menos 200 ou 300 anos atrás, uma família tradicional  de origem espanhola vinda da Bahia, a Família Luz, estabeleceu-se no local onde hoje se encontra o Bairro Ipueiras. Os bairros Ipueiras e Baixio da Ipueiras foram fundados pela respectiva família, que naquela época chegaram a Picos e formaram pequenos povoados.  Até os dias de hoje a família Luz ainda é predominante no bairro.

Bairro Ipueiras - Foto: Reprodução
Bairro Ipueiras – Foto: Reprodução

A predominância do “LUZ” é tamanha que Picos apresenta-se  como maior núcleo da Família Luz no Brasil, uma vez que foi ali que os mesmos permaneceram, desde muito tempo atrás, quando chegou a esse Estado, vindo da Bahia, ainda no período colonial, que já havia sido um município modelo do Piauí durante algum tempo.

Presidente da Associação do Bairro Ipueiras, João Batista- Foto: Elayne Lilian/ Crislene Carvalho
Presidente da Associação do Bairro Ipueiras, João Batista- Foto: Elayne Lilian/ Crislene Carvalho

O presidente da Associação de Moradores do Bairro Ipueiras, João Batista, explica como ocorreu este processo de formação do bairro. “Conta-se que o bairro fui fundado há mais ou menos 200 anos atrás por dois portugueses que se instalaram no local que hoje é o bairro. Mas que não se tem uma data exata, pois não existem mais documentos referentes a isso. Até hoje essas duas famílias desses portugueses predominam na região , umas delas é a família Luz que predomina a maior parte da população do bairro” , afirma João  Batista.

Conforme o censo 2010 a população de Ipueiras é distribuída entre homens e mulheres. A População masculina, representa 1.743 habitantes, e a população feminina, 1.845 habitantes.

Em Ipueiras, existem mais mulheres do que homens. Sendo a população composta de 51.42% de mulheres e 48.58% de homens.

A fé que sobe montanhas

Uma prática que tem se tornado comum entre os ipueirenses e pessoas da macrorregião de Picos é a subida ao Morro da Santa Cruz, ou Morro do “Quebra-Pescoço” que acontece como data célebre no 03 de maio. Todos os anos dezenas de pessoas realizam a subida como forma de agradecer aos pedidos atendidos, ou simplesmente pela devoção.

Morro Quebra-Pescoço - Foto: Reprodução
Morro Quebra-Pescoço – Foto: Reprodução

O morro apresenta aspecto interessante, podendo ser observado de vários ângulos: assemelha-se a uma pirâmide arredondada e no topo pode ser encontrada uma cruz secular, fincada em meados do século XIX por moradores e alguns missionários religiosos e também para indicar um fato trágico e lendário ocorrido há muito tempo no local.

 A tradição em torno do Morro do Quebra Pescoço se originou a partir da lenda de um vaqueiro que ao perseguir um garrote caiu do cavalo e fraturou o pescoço. Não há informações sobre a data precisa em que isso aconteceu, sabendo-se apenas que teria sido há mais de 100 anos, quando a cidade ainda era uma vila, desde então a lenda se perpetuou e as celebrações religiosas em cima do morro passaram a ser uma tradição.

No entanto, outras manifestações culturais tem perdido força no bairro como o Reisado que anteriormente era muito presente e reconhecido, não só na região, mas em todo o Piauí, o reisado da Ipueiras.

Mas com o passar do tempo essa cultura tomou rumos diferentes. “Encontra-se, hoje, praticamente desaparecido e levado ao esquecimento, em virtude de alguns fatores, entre os quais podemos citar a falta de incentivo e principalmente a inexistência de interesse e de empenho das gerações mais jovens”, frisou João Batista.

Religiosidade

A padroeira do bairro é Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. A festa religiosa acontece entre os  dias 03 a 12 de setembro. O presidente João Batista ainda fala da construção de uma igreja que está sendo construída no bairro. “Está em andamento a construção de uma nova Igreja com grande estrutura que não tem previsão de termino, pois sua construção depende da doação. Da forma como os recursos vão entrando, vai sendo dado andamento na construção” , frisa.

Personalidades

Muitos ipueirenses tem se destacado em diversos segmentos desde o cenário musical e escritor, como é o caso dos artistas Marcelo Luz, Zé Armando , Fábio dos Teclados, Nataniel são alguns dos nomes que residem no bairro, além de Edimar Luz. escritor, poeta, professor e sociólogo formado em Recife.

Economia

Vale destacar que o bairro Ipueiras passou por avanços significativos no que diz respeito à economia.

“ O bairro Ipueiras era urbano, mas com uma economia rural. Antigamente a renda do bairro se baseava no plantio de arroz, milho e outros cereais. Nos dias de hoje essa realidade já mudou e a maior parte vivem do comércio e outros são funcionários públicos”, afirma.

Dificuldades e progressos

Apesar do bairro ser um dos mais antigos do município de Picos, este ainda sofre com o problema de infraestrutura, saneamento básico precário. Das ruas, apenas 15% são pavimentadas e isso acaba trazendo dificuldades” lamenta Batista.  O bairro está crescendo, quebrou se o mito de que antigamente só se vendiam terrenos para pessoas da família Luz, e hoje pode-se encontrar residindo no bairro pessoas de toda macrorregião de Picos, e com isso a construção civil e que vem desenvolvendo bastante em termos de moradias.

POR: Elayne Lilian, Crislene Carvalho

Edição: Paula Monize

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade