ad16
DestaquesGeralTodas as Notícias

Reunião debate sobre liberação da água da Barragem de Bocaina

Membros da comissão gestora da Barragem de Bocaina, formada por prefeitos e representantes de entidades e sociedade civil, se reuniram na manhã desta quinta-feira (9), no auditório do Sebrae em Picos, para discutir sobre a liberação da água do açude.

Tendo em vista as condições do baixo volume da barragem, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) convocou a reunião com os gestores. Segundo o superintendente de recursos hídricos da Semar, Romildo Mafra, a reunião é essencial para chegar a um consenso do volume da água que poderá ser liberado por um período curto e emergencial.

Reunião com gestores da Barragem de Bocaina-Foto: Romário Mendes
Reunião com gestores da Barragem de Bocaina-Foto: Romário Mendes

A barragem tem capacidade para 106 milhões de metros cúbicos de água e abastece, além da cidade de Bocaina, os municípios de Sussuapara e Picos. Porém, devido à estiagem registrada nos últimos dois anos, ela está apenas com 22% de sua capacidade, o que vem afetando a agricultura e projeto de piscicultura desenvolvido na região e também a oferta de água para consumo humano.

Público presente na reunião-Foto: Romário Mendes
Público presente na reunião-Foto: Romário Mendes

Segundo o coordenador estadual do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Djalma Policarpo, a barragem está em situação critica. Ele informou ainda que o Dnocs juntamente com a Agência Nacional de Águas (ANA), está fazendo um monitoramento do açude em relação à liberação da água para as comunidades não serem prejudicadas no futuro.

Coordenador do Dnocs, Djalma Policarpo-Foto: Romário Mendes
Coordenador do Dnocs, Djalma Policarpo-Foto: Romário Mendes

O prefeito de Bocaina, José Luís, lembrou que a liberação da água em 2013 foi feito de uma maneira irresponsável. “A liberação tem que ser feita de maneira responsável, vendo a capacidade que tem o açude, o volume que tem hoje e o tempo que nós vamos passar sem chuva na nossa região, para que a gente não fique sem água nos próximos meses”, disse.

Produtores de goiaba e banana do povoado Torrões também estiveram presentes na reunião.  De acordo com o vereador Renato Ibiapino, a água tem que ser liberada com responsabilidade para que ela chegue ao último irrigante, que fica localizado no povoado Boa Fé, depois dos Torrões. “A fábrica já chegou a parar de funcionar por falta de banana e goiaba para a fabricação de doce. A água tem que chegar aos irrigadores para estarmos irrigando cerca de 300 hectares, gerando mais emprego e renda para grande região de Torrões”, pontuou.

Vereador Renato Ibiapino-Foto: Romário Mendes
Vereador Renato Ibiapino-Foto: Romário Mendes
Tags

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

Publicidade