ad16
DestaquesSaúdeTodas as Notícias

Saúde de Picos promove “Dia D” do Setembro Amarelo no Caps II nesta sexta (10)

Programação contou com atração de peça teatral, oficinas e rodas de conversas.

A Secretaria Municipal de Saúde de Picos, através do Centro de Assistência Psicossocial II, realizou, durante toda a manhã desta sexta-feira (10), o “Dia D” de prevenção ao suicídio, trabalhado no mês de setembro. O evento aconteceu na própria sede do Caps II, no bairro Ipueiras.

A programação iniciou com apresentação da Banda de Música do município. Em seguida, a coordenadora do Caps II, Aurilândia Leal, mais conhecida por “Maninha”, iniciou o evento que contou com peça de teatro, oficinas em grupo e debates entre os profissionais de saúde.

Robson Dias, psicólogo do Caps II, ressaltou a importância em se trabalhar o tema e quebrar paradigmas.

“Esse é um tema que afeta muita a saúde pública e, por isso, é importante que a gente o trabalhe. Nós precisamos alertar a sociedade sobre o impacto que o suicídio pode trazer à sociedade, assim como conscientizar sobre como acionar a rede de proteção à essa pessoa que está passando sofrimento psíquico, além de desmistificar muitas informações acerca da temática. A campanha de prevenção ao suicídio visa trazer a rede como parceira e proporcionar ao paciente o fluxograma de atendimento a ele para que minimize cada vez mais os impactos daquilo que ele está sofrendo”, pontuou.

Robson Dias, psicólogo Caps II – Foto: Jaqueline Rajner

O psicólogo informou que são vários os fatores que podem desencadear o suicídio e que é importante entender que quando a pessoa chega ao extremo não era ali que ela queria estar.

“São vários os fatores podem desencadear o suicídio. Várias coisas podem causar o desânimo e levar a pessoa a ter desinteresse em viver. É importante frisar que não é que a pessoa queira morrer, mas, muitas vezes, esses fatores que podem afetá-lo fazem com que ele se questione sobre a valorização da vida. São eles fatores socioeconômicos, familiares, emocionais e até mesmo patológicos”, frisou.

A coordenadora do Caps II, Maninha, falou que durante todo o ano são desenvolvidas ações de prevenção, mas que, no mês de Setembro, mundialmente se trabalha com mais intensidade a temática.

“Falar de suicídio é tratar de uma temática bem complexa. No mês de setembro intensificamos esse trabalho de cuidado com a população. É a gente falando que vamos plantando a semente do bem. Durante todo o ano, a rede de saúde mental – tanto UBS’s quanto os Caps – trabalha na prevenção de doenças, especialmente o suicídio, pois é uma doença que surge em algo menos agravante e se torna grave”, disse ela.

MAninha, coordenadora Caps II

Maninha frisou a importância de todos estarem alertas aos sinais que antecedem o suicídio, como mudança de temperamento/comportamento. Pontuou ainda que os profissionais das UBS’s estão sendo orientados sobre como perceber esses sinais.

“O nosso trabalho realizado com essa temática do Setembro Amarelo é, principalmente, orientar as UBS em relação aos fatores de risco, porque a UBS é que fica à frente da comunidade através dos agentes de saúde. Então a gente está intensificando esses profissionais a ter um olhar mais amplo em relação aos sinais de alerta, para eles estarem dentro do domicílio orientando as famílias. A mudança de comportamento de uma pessoa requer cuidado”, destacou.

Ela ainda parabenizou os profissionais de saúde do município que têm atuado intensamente na prevenção do suicídio.

“Picos está de parabéns porque as equipes vêm se mobilizando e intensificando esse cuidado. Em tempos de pandemia, esse isolamento social vem trazendo vários problemas mentais, entre eles o medo, a depressão e o isolamento social. E isso fez com que houvesse de nós uma atenção maior”, finalizou.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade