ad16
Polícia

Sem coligação, Gleuton Portela disputará a prefeitura de Picos‏

Gleuton Portela – Foto: Romário Mendes

Com a proposta política ambiciosa de fazer uma campanha diferente de todo o país, o candidato a prefeitura de Picos Gleuton Portela (PRTB) concedeu entrevista ao Jornal do Piauí desta quinta-feira (12). Sem coligações partidárias, o candidato ressalta que não marchará sozinho mas com o apoio de Deus e do povo.

Sobre a força política de seus adversários na disputa à prefeitura, Kleber Eulálio e Belê Medeiros, Portela disse que independente da coligação com dois ou 50 partidos, os picoenses estão dispostos a acreditar em propostas sensatas e transparentes, que realmente sejam efetivadas na prática.

“Quem já exerceu algum cargo político e não fez nada o povo está observando. Minha proposta será direcionada para as classes que mais necessitam. Não existirá apadrinhamento, por exemplo, meus secretários serão escolhidos pelo povo e não por indicação como acontece”, destacou.

Sobre os recursos finaceiros utilizados durante a campanha eleitoral, Gleuton Portela conta que a divulgação de suas propostas serão baseadas no corpo-a-corpo. ” Acredito que três ou quatro carros de som serão necessários para amplificar as mensagens. O restante será através da visita na casa de cada cidadão, tomando um cafezinho e ouvindo suas histórias”

De acordo com o candidato, as áreas de educação e segurança também serão pontos prioritários em seu possível mandato.

Sobre a especulação que houve no município sobre uma coligação com atual candidato a vice -prefeito , padre Walmir, na chapa encabeçada por Kléber Eulálio (PMDB), o candidato ressalta que não existem mágoas sobre o caso.

“Fiquei triste com a desistência de sua candidatura a prefieito. Se isto não tivesse acontecido, provavelmente, estaríamos fazendo campanha juntos. Não tenho mágoas mas acredito que o partido ao qual ele se coligou não cumprirá as promessas”, finaliza Gleuton Portela.

Graciane Sousa (Especial para o Cidadeverde.com)
[email protected]

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade