ad16
DestaquesSaúdeTodas as Notícias

Sem salários e contratados informalmente, médicos pedem demissão em massa no Hospital Regional de Picos

Além dos pagamentos atrasados desde o mês de maio, o grupo denuncia que os pacientes do hospital Regional Justino Luz são submetidos a condições sub-humanas.

Uma equipe de oito médicos cirurgiões que fazem parte do Hospital Regional Justino Luz, em Picos, pediram demissão em massa. Os servidores estão há cinco meses com salários atrasados, mas o estopim para a decisão aconteceu na última quinta-feira (26/09), após a unidade médica ficar dois dias sem o fornecimento de água. A reportagem também apurou que os servidores que estão sem os pagamentos são prestadores de serviços contratados pela Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), através de um “contrato de boca”, ou seja informalmente. As informações são do PORTAL OITO MEIA

Além dos pagamentos atrasados desde o mês de maio, o grupo denuncia que os pacientes do hospital Regional Justino Luz são submetidos a condições sub-humanas.

“A questão não é apenas salarial. Nós trabalhamos em condições insalubres, vemos os nossos pacientes perecendo em enfermarias sub-humanas. Na quarta-feira cheguei lá e os pacientes estavam há 48h sem água. Haviam pacientes operados e eles estavam durante todo esse tempo sem lavar a ferida operatória”, apontou um médico da unidade que não quis ser identificado ao explicar que a unidade estava sem água, pois a bomba do poço que abastece o local havia queimado há dois dias. 

Falta de água causa transtornos no Hospital Justino Luz; Veja vídeo!

SALÁRIOS ATRASADOS E CONTRATOS NO ‘BOCA-A-BOCA’

De acordo com o servidor do Hospital Regional Justino Luz, os médicos que estão com salários atrasados são prestadores de serviços e foram contratados através de um acordo verbal com a FEPISERH, fundação ligada ao Governo. O atraso nos pagamentos vêm sendo uma realidade desde o mês de maio. O médico apontou que o pagamento do mês de maio foi depositado na conta dos trabalhadores na manhã desta sexta-feira (27/09), porém, a reivindicação é de que os salários de maio e junho sejam pagos nesta semana e que haja um acordo para os meses posteriores.

DEMISSÃO EM MASSA

Em nota divulgada a direção geral do Hospital Regional Justino Luz afirma que não houve nenhum pedido formal de demissão da parte dos médicos cirurgiões. A reportagemno entanto, conversou com a presidente do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI), Mirian Palha Dias, que confirmou a entrada no pedido de demissão junto ao CRM feita pela equipe. Porém, explicou que eles devem permanecer nos plantões do Hospital Regional Justino Luz até o dia 01 de outubro.

O QUE O GOVERNO DIZ

Ainda em nota, a direção do hospital esclarece que nessa sexta-feira (27/09) haverá uma reunião entre direção e o corpo clínico da unidade de saúde para discutir melhores condições de trabalho. Em relação aos atrasos dos salários, esclareceu que FEPISERH e a Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI) estão trabalhando para que sejam regularizados.

Veja a nota do Hospital na íntegra: 

A direção geral do Hospital Regional Justino Luz vem a público esclarecer que não houve nenhum pedido formal de demissão da parte dos médicos cirurgiões, como foi repercutido nas redes sociais. Hoje, 27/09, haverá uma reunião entre direção e o corpo clínico desta unidade de saúde, assim como vem procedendo com todas as coordenações, para discutir melhores condições de trabalho.Sobre os pagamentos em atraso, esclarece que a Fundação Estatal de Serviços Hospitalares (FEPISERH) e a Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI) estão trabalhando com todo empenho para que sejam regularizados o mais breve.

Sempre com o compromisso e a responsabilidade de atender a todos que desta casa precisam.

Hospital Regional Justino Luz

Fonte: Oito Meia

 

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Publicidade