ad16
EducaçãoGeral

Sinte quer concurso na Educação; déficit de 7 mil trabalhadores

Reunidos por mais de quatro horas na Secretaria Estadual de Educação - Seduc - na tarde desta quinta-feira (3), representantes do Governo do Estado, sindicalistas e Ministério Público fizeram uma revisão na folha de pagamento e planilhas de custos do órgão para elaborar uma nova proposta de reajuste salarial para os professores. Os valores não foram definidos, mas o resultado dessa análise será apresentado ao governador Wilson Martins (PSB). A decisão final com o percentual de aumento, para o fim da greve que dura mais de dois emses, deve sair somente na segunda-feira. Participaram da reunião os secretários de Educação, Átila Lira, e Administração, Paulo Ivan da Silva Santos, além do crontrolador-geral do Estado, Antônio Filho, a promotora Leida Diniz e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí - Sinte-PI - e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE. Ao longo da tarde, foi avaliada a revisão no reajuste. Os dados devem ser revistos e estudados novamente durante o fim de semana para consolidação da proposta. Pela manhã, em encontro no Palácio de Karnak, o governador Wilson Martins (PSB) apresentou proposta para que todos os recursos federais extras que chegarem do Fundo de Educação Básica - Fundeb - sejam repassados diretamente para o reajuste dos professores. O mesmo grupo que participou da reunião da Seduc deve acompanhar a liberação dos recursos a cada mês. A categoria cobra aumento linear de 22% para todas as classes, mas o Estado alega estar no limite do cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. O impacto na folha seria de R$ 19 milhões. O governador Wilson Martins tem viagem programada para municípios do Norte do Estado nesta sexta-feira, começando por Barras. Ele aguarda a consolidação da nova proposta por parte da comissão de gestores e sindicalistas que, chegando a um acordo, terão o reajuste salarial confirmado. Da Redação redacao@cidadeverde.com
Greve dos professores da rede estadual de Picos Foto : Maria Moura

Uma comissão do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública de Base do Piauí (Sinte) entregou ao secretário estadual de Administração, Paulo Ivan e Silva Santos, uma minuta de um projeto de reformulação da carreira da categoria. Os sindicalistas cobraram também a realização de um concurso público para suprir vagas existentes na Educação.

Segundo presidente do Sinte, Odeni de Jesus, o déficit só de professores na rede estadual é de cerca de sete mil profissionais. “Neste ano, o Governo usou a velha solução paliativa de chamar professores temporários, mas o Sinte exige que seja realizado um concurso para que os trabalhadores que passarem possam ser efetivados”, diz o sindicato em nota.

O governo do estado se comprometeu a encaminhar o projeto da reformulação da carreira aos seus técnicos para a realizar o estudo do impacto financeiro e apresentar novas emendas para que, em breve seja realizada uma nova reunião, desta vez, com a presença do professor Milton Canuto, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) para que os trabalhos sejam concluídos e o governo possa encaminhar o projeto até outubro à Assembleia Legislativa.

Cidade Verde

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

Publicidade