ad16
DestaquesPolíciaTodas as Notícias

SMS de celular e Facebook ajudam a solucionar assassinato de jornalista

Passado quase duas semanas do rapto, assassinato e trucidamento do jornalista Elson Feitosa ainda não há pistas claras de quem cometeu esses crimes. Amigos do jornalista, que também era empresário, começam a montar o quebra-cabeças e ajudar a polícia no fornecimento de pistas que podem levar à rápida elucidação do caso.

Desde a semana passada os policiais que investigam o caso pararam de dar entrevistas e disseram que estão no encalço de dois suspeitos. Não divulgaram as linhas de investigação mas prometem que até o final desta semana colocarão todos os envolvidos atrás das grades. Mais dados sobre as investigações são foram repassados à imprensa. A justificativa é que é para não atrapalhar os trabalhos policiais.

Jornalista Elson Feitosa: assassinato cruel ainda é mistério. Foto: Facebook
Jornalista Elson Feitosa: assassinato cruel ainda é mistério. Foto: Facebook

Duas mensagens, uma no Facebook, e outra no Whatsapp, podem ajudar a polícia a montar o quebra-cabeças. Essas mensagens já estão em poder da equipe de policiais. Elas foram repassadas por amigos de Elson Feitosa.

Postagem do Facebook do jornalista. Menos de uma semana antes do seu rapto e morte. Foto: Facebook

Em mensagem do Facebook o jornalista comenta sobre alguma possível ameaça. “Acho que ninguém tem o direito de mostrar quem é quem para quem anda com quem não presta. As vezes dá até dó e vontade de rasgar o verbo, mas nessa hora é melhor se conter e cada um que descubra por si só o quanto muitas pessoas não valem a pena”, postou Elson Feitosa no final da tarde de 29 de setembro, poucos dias antes de ser assassinado.

O Whatsapp do jornalista também pode ajudar a mostrar o horário em que ele morreu ou desapareceu. Amigos, através de mensagem, destacam que o aplicativo do jornalista funcionou, ao menos, até as 19h30 do dia 02 de outubro. O corpo de Elson foi encontrado no final da manhã do dia 03 em um matagal na zona rural de José de Freitas, a quase 50 quilômetros do local em que desapareceu.

Whatsapp do jornalista funcionou até o meio da noite do dia em que ele despareceu. Respondeu mensagem.

Diariamente amigos continuam fazendo apelos à polícia. Com os dados em mãos cobram que a equipe responsável possa tê-los para mais elementos para prender quem cometeu a monstruosidade contra o jornalista. Já se sabe também que o crime foi cometido ao menos por duas pessoas.

O caso Elson Feitosa é um dos mais misteriosos este ano no Piauí e comoveu centenas de pessoas porque o jornalista e empresário era considerado pacato, sem inimigos e estava com uma empresa em crescimento.

O Olho

Tags

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

Publicidade