ad16
CidadeDestaquesGeral

Uespi firma convênio para prática de alunos no Instituto de Criminalistíca

Reitor da Uespi e secretário da Segurança firmam convêncio entre as duas instituições (Foto:Ascom Uespi)

A parceria foi tratada em reunião na Uespi( Foto: Ascom Uespi)

A Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e a Secretaria de Estado da Segurança Pública assinaram convênio que beneficia alunos dos cursos de Medicina, Biologia, Enfermagem, Odontologia, Química, Física, dentre outros. O acordo prevê a possibilidade de alunos da Uespi desenvolverem atividades voltadas à perícia criminal no Instituto de Criminalística do Estado. O acordo de cooperação foi firmado nessa quarta-feira (13), em reunião no Palácio Pirajá, Campus Torquato Neto.

Participaram do encontro, o reitor Nouga Cardoso; a vice-reitora Bárbara Melo; o secretário de estado da Segurança, Fábio Abreu; e o subsecretário da pasta, coronel Rubens da Silva, além do diretor de Polícia Técnica e Científica do Instituto de Criminalística do Piauí, Antônio Nunes, e de outros representantes da administração superior da Uespi.

A iniciativa conjunta, além de otimizar a forma de atuação do Instituo de Criminalística, dando celeridade a ações de identificação civil e criminal requisitadas pela Polícia Civil, promoverá a ampliação da prática de alunos de diversos cursos da Uespi, contribuindo assim com a formação dos mesmos. “Isso vai dar uma agilidade aos processos do Instituto de Criminalística e também vai reforçar a formação de alunos de cursos de Enfermagem, Direito e de muitos outros cursos”, afirmou o reitor Nouga Cardoso.

O secretário Fábio Abreu destacou a importância do convênio para a sociedade. “A sociedade, sem sombra de dúvidas, terá um trabalho de melhor qualidade, uma resposta mais rápida. Um dos traumas para as famílias é a questão do tempo de demora para a liberação de um corpo. Com a cooperação da Uespi, os trabalhos do Instituto de Criminalística serão agilizados para que a exumação e posterior liberação de corpos aconteçam de forma mais rápida e amenize o sofrimento das famílias”, destacou o gestor.

Como se trata de um acordo de cooperação mútua, a Uespi disponibilizará laboratórios e equipamentos necessários para que peritos do instituto possam trabalhar na investigação de casos. Discentes e docentes poderão participar diretamente das ações, auxiliando, por exemplo, na interpretação correta de vestígios e na produção de exames periciais nas mais diversas áreas: Medicina Legal, Odontologia Legal, Física Forense, Química Forense, Biologia, Informática Forense, Contabilidade Forense, dentre outras.

“Se encontrarmos uma substância vegetal suspeita de ser venenosa e que possa ter matado alguém, neste caso, poderíamos procurar, por exemplo, professores da área de Botânica da universidade para nos ajudar. Isso pode ser exportado para outras áreas como Física: análise de movimento, cálculos de velocidade”, explicou o diretor de Polícia Técnica e Científica do Instituto de Criminalística. “Receberemos estagiários de qualquer curso da Uespi que tenham interesse na prática da Perícia Criminal e também professores que tenham interesse em realizar alguma pesquisa”, acrescentou Antônio Nunes.

O convênio tem validade de cinco anos, com previsão de renovação, e vale para todos os campi da Universidade Estadual, no interior e na capital do estado. O acordo prevê ainda a doação de cadáveres para a Uespi, a serem utilizados com propósito pedagógico.

Em Picos, as ações entre Instituto de Criminalística e Uespi estão prestes a ser iniciadas. Foi cedido um espaço na antiga sede do campus da universidade para a instalação de um núcleo do instituto, que ficará à disposição da comunidade acadêmica e a serviço da sociedade picoense. “Temos toda a estrutura necessária para a realização das práticas de perícia em Picos, o que facilitará a prática dos alunos na própria cidade, sem a necessidade de se trazer o corpo até Teresina como vinha acontecendo”, finalizou o secretário da Segurança.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade